Publicidade

Correio Braziliense

Covid-19: Papuda registra segunda morte de preso pela doença

Sistema penitenciário apresenta dados preocupantes de contaminações pelo novo coronavírus


postado em 02/06/2020 13:44 / atualizado em 02/06/2020 15:13

Detento passou mal na segunda-feira e testou positivo para a doença: causa da morte ainda será confirmada pela Secretaria de Saúde(foto: Ed Alves/DA./CB Press)
Detento passou mal na segunda-feira e testou positivo para a doença: causa da morte ainda será confirmada pela Secretaria de Saúde (foto: Ed Alves/DA./CB Press)
O Complexo Penitenciário da Papuda registrou a segunda morte de presidiário por coronavírus. O detento, de 40 anos, era lotado na Penitenciária do Distrito Federal I (PDF I) e faleceu na tarde desta segunda-feira (1°/6).
 
Segundo informações da secretarias de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) e de Administração Penitenciária (SAP), o preso estava internado no Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

O interno teria passado mal dentro da cela na manhã desta segunda-feira e, em seguida, foi atendido pela Gerência de Saúde da unidade prisional. Por apresentar piora no quadro clínico, o preso teve de ser encaminhado ao Hran.


A SSP-DF informou que, por precaução, a cela onde o detento cumpria pena foi isolada e os internos que dividiam o espaço serão testados para a covid-19.

Casos 

Boletim mais recente da Secretaria de Saúde registra 763 casos de presidiários que contraíram o vírus. Outros 234 policiais penais receberam diagnóstico positivo para a doença. Desses, 181 se recuperaram. 

O crescimento disparado das notificações nas seis unidades prisionais da capital coloca o DF em primeiro lugar em número de casos da covid-19 em comparação aos outros presídios do Brasil, como mostra o painel do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Em 17 e 19 de maio, o complexo registrou duas mortes por coronavírus: um policial penal, de 45 anos, e um detento, de 32 anos. Ambos eram lotados na PDF I e estavam internados no Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Até o momento, a Secretaria de Saúde aplicou mais de 5 mil testes em internos e policiais penais do sistema prisional. Um agente penitenciário está internado na rede particular do DF com sintomas moderados da doença. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade