Publicidade

Correio Braziliense

Segurança: TJDFT implanta sistema de controle facial

A verificação começará em junho e terá como base todos os registros existentes para fazer o controle de acesso de visitantes


postado em 02/06/2020 15:27 / atualizado em 02/06/2020 16:17

A partir de junho, todos que entrarem nas dependências do Tribunal deverão passar pelo sistema de reconhecimento facial(foto: Divulgação/TJDFT)
A partir de junho, todos que entrarem nas dependências do Tribunal deverão passar pelo sistema de reconhecimento facial (foto: Divulgação/TJDFT)
O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) redobrou as medidas de segurança. A partir de agora, todos que entrarem nas dependências do órgão deverão passar pelo Amon, novo sistema de reconhecimento facial que identifica os visitantes na portaria. A instalação tem o intuito de preservar a segurança e a integridade física dos membros da casa, assim como o controle de quem entra em suas dependências.

 

A solução funcionará da seguinte forma: quando a pessoa chegar nas dependências do tribunal, ela deverá se identificar na recepção e será solicitada a tirar uma foto. Feito isso, o Amon verificará no SIDENWeb, base do sistema mantido pela área responsável por autorizar a entrada do cidadão nas dependências da casa, se a pessoa já esteve antes no Tribunal.

 

A verificação se dará por reconhecimento facial, com base em todos os registros existentes. Sendo assim, será possível detectar uma possível fraude caso a foto dessa pessoa seja reconhecida e seu registro armazenado mostra dados de documentos diferentes dos apresentados.

 

O Amon foi desenvolvido pelo Serviço de Ciência de Dados do Tribunal em parceria com a sua Assessoria de Segurança Institucional. No desenvolvimento do novo sistema foi usada a linguagem Python, que, cada vez mais, vem se consolidando como uma das principais largamente utilizada por profissionais da área de Ciência de Dados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade