Publicidade

Correio Braziliense

BRB volta a operar com recursos de fundo de financiamento empresarial

O objetivo é promover o desenvolvimento de atividades produtivas e econômicas do DF


postado em 02/06/2020 17:17 / atualizado em 02/06/2020 17:33

A linha empresarial é voltado a empresas de todos os portes do setor produtivo privado(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press )
A linha empresarial é voltado a empresas de todos os portes do setor produtivo privado (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press )
O Banco de Brasília (BRB) voltou a operar com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) para o setor empresarial, por meio da linha de financiamento FCO Empresarial. O FCO é um fundo criado pela Constituição para promover o desenvolvimento da região Centro-Oeste, e é administrado pelo Banco do Brasil.

A linha Empresarial é voltada para empresas de todos os portes, do setor produtivo privado, que desejem iniciar, ampliar e modernizar seus empreendimentos. O objetivo é promover o desenvolvimento de atividades produtivas e econômicas do DF e Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno (Ride) nos setores de desenvolvimento industrial, infraestrutura econômica, turismo, ciência, tecnologia e inovação e comércio e serviço.

Com recursos do fundo, é possível apoiar investimentos como construção e reforma de imóveis e aquisição de máquinas, equipamentos, móveis, utensílios e veículos. Além disso, há a possibilidade de financiar matéria-prima, insumos, formação de estoque, capital de giro associado ou dissociado ao investimento. Os recursos do BRB disponíveis para o financiamento dos projetos por meio do FCO podem chegar a R$ 200 milhões.

Para o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, a retomada do FCO reforça o portfólio do banco junto aos clientes, principalmente em um momento adverso como o da pandemia de covid-19. O FCO Empresarial oferece taxas de juros baixas – 7,4% ao ano (pós-fixada).

O empresário conta, ainda, com bônus de adimplência de 15% sobre os juros; prazos de carência e pagamentos alongados (aderentes ao investimento); financiamento de até 100% do valor do investimento; e possibilidade de utilização da garantia do Fundo de Aval do Sebrae (Fampe).

* Com informações do BRB


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade