Publicidade

Correio Braziliense

Mais de 6,1 mil medicamentos de alto custo entregues na casa de pacientes

De acordo com a Secretaria de Saúde, esse número representa as entregas feitas no mês de maio


postado em 05/06/2020 13:37 / atualizado em 05/06/2020 14:24

Mais de 6,1 mil medicamentos de alto custo foram entregues no mês de maio(foto: Breno Esaki/Agência Saúde)
Mais de 6,1 mil medicamentos de alto custo foram entregues no mês de maio (foto: Breno Esaki/Agência Saúde)
O fluxo de entregas de medicamentos de alto custo na rede pública mudou. Agora, os pacientes contam com um serviço de entrega a domicílio. Em maio, foram entregues 6.133 medicamentos pelo programa da Secretaria de Saúde em parceria com o Banco de Brasília (BRB). A iniciativa, criada em abril, tem como objetivo evitar filas e aglomerações nas Farmácias de Alto Custo. 

A unidade de Ceilândia entregou cerca de 2.497 medicações. Na Asa Sul, foram 2.116 e no Gama, 1.520 medicamentos entregues. A diretora de Assistência Farmacêutica, Samara Carneiro, explica que, desde o início do programa, foram ajustados vários pontos para dar mais agilidade ao serviço. 

Ao todo, 33 mil usuários estão cadastrados nas Farmácias do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica do Distrito Federal. 

De acordo com Samara, o projeto será ampliado para atender também quem faz uso de fórmulas nutricionais especiais. “Uma vez que os pacientes não precisam mais se deslocar até as Farmácias de Alto Custo para continuarem seus tratamentos, pois recebem os medicamentos em segurança e seguindo as recomendações do isolamento social, vamos ampliar também as entregas aos pacientes que fazem uso de fórmulas nutricionais especiais e também aos usuários do Núcleo de Farmácia Ambulatorial Judicial”, afirma.

Programa 


Para receber a medicação em casa, o paciente com cadastro atualizado na farmácia de alto custo precisa telefonar para o número 3029-8080, das 8h às 18h, e agendar o recebimento pelo programa. Só pode receber o remédio o próprio paciente ou um representante legal, que também deve estar cadastrado na farmácia.

Devido a algumas dificuldades no processo inicial, o BRB comunicou a contratação de uma empresa transportadora para continuar as entregas. Dessa forma foi possível agilizar o serviço para a população. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade