Cidades

Depois de festa com teste de covid-19 na porta, MPDFT faz recomendação

A Prosus ressalta que, enquanto durar a necessidade do distanciamento social, ainda que haja a aplicação de testes, os resultados não garantem segurança

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 25/06/2020 18:33
Comemoração de aniversário em Brasília contou com testes rápidos na entradaDepois de um fim de semana no qual vídeos de festas particulares no DF circularam pela internet e com o aumento de casos do novo coronavírus, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) alerta a população brasiliense para a realização deste tipo de evento. A Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus) ressalta que, enquanto durar a necessidade do distanciamento social, ainda que haja a aplicação de testes para os convidados, os resultados não garantem 100% de segurança e a disseminação do vírus pode ocorrer.

[SAIBAMAIS]Em nota publicada nesta quinta-feira (25/6), o MPDFT reforça o aviso feito por pesquisadores de que, especialmente os testes do tipo sorológico, usados na testagem rápida, podem gerar resultados falsos negativos. Isso ocorre porque os anticorpos identificados no exame só costumam aparecer em uma fase mais avançada da infecção, a partir do oitavo dia, o que pode contribuir para resultados não confiáveis. Também pode ocorrer de uma pessoa infectada apresentar uma quantidade pequena da amostra, ou seja, um valor indetectável, que não seja forte o suficiente para acusar positivo.

Além das possibilidades de falso negativo e falso positivo, a promotoria destaca na recomendação outros problemas que podem comprometer o resultado, como testes aplicados sem as condições laboratoriais adequadas, amostra ruim, equipamento que não funciona perfeitamente e erro humano.

;A Prosus adverte que em razão da situação emergencial decorrente da pandemia enfrentada em face da covid-19, os eventos sociais, inclusive particulares, não são atividades essenciais e devem ser rigorosamente evitados, independentemente de legislação que proíba festas privadas e domiciliares. Essa é uma crise sanitária sem precedentes. No DF, são mais de 480 óbitos, e no Brasil temos mais de 52 mil vítimas, na data de hoje. É algo que ultrapassa a nossa individualidade, é uma questão de cidadania e respeito à coletividade;, afirmam os promotores de Justiça.


Casos

Nesta quarta-feira (24/6), o juiz da da 4; Vara Cível de Brasília determinou, em liminar, que um morador do Condomínio Brisas do Lago não promova festas ou qualquer tipo de reunião ou evento de pessoas dentro do apartamento, sob pena de multa de R$ 5 mil. O condomínio afirma que o réu vem utilizado a unidade imobiliária para realizar festas, não respeitando nem o limite de emissão sonora nem as regras sanitárias de isolamento.

Também na capital federal ganhou repercussão nacional a festa de uma advogada, merecendo críticas até de celebridades como Bruna Marquezine. Nos vídeos e fotos publicados nas redes sociais, os participantes não usavam máscaras e não respeitavam o distanciamento social. Contudo, o fato que mais chamou atenção foi a realização de testes rápidos para covid-19 na entrada da comemoração.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação