Publicidade

Correio Braziliense

Protocolos darão segurança na volta das academias, afirma Celina Leão

Com reabertura marcada para 7 de julho, academias deverão seguir critérios como distanciamento de equipamentos e proibição de aulas de contato


postado em 02/07/2020 15:03 / atualizado em 02/07/2020 15:05

"A gente pede que as pessoas não usem a flexibilização como forma de negligência, porque aí sim o Estado tem de intervir e tomar medidas", afirma Celina Leão, secretária de Esporte e Lazer (foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
As academias de todo o Distrito Federal já tem data para reabrir: 7 de julho, dia estabelecido em decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha e publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (2/7). A secretária de Esporte e Lazer, Celina Leão, afirma que os protocolos estabelecidos permitirão uma volta com segurança.
 
Em entrevista ao Correio, ela explicou que toda a fiscalização será feita pelo DF Legal, com apoio do Conselho Regional de Educação Física (Crefe-DF) e do Sindicato das Academias do DF (Sindac). “Claro que, em um primeiro momento, muita gente nem vai, por medo mesmo. Mas, pelo menos, quem está com a saúde boa e não tem comorbidade, vai poder malhar e voltar às atividades com tranquilidade.”
 
Pelo decreto, as academias poderão ficar abertas de acordo com horário pré-determinado em alvará de funcionamento, mantendo higienização regular dos equipamentos de uso coletivo. Ficam proibidas as aulas coletivas, chuveiros e uso de bebedouros.
 
Os equipamentos deverão ficar a uma distância de dois metros entre eles e o uso de máscaras é obrigatório para alunos e professores. O estabelecimento deverá ser fechado de uma a duas vezes por dia, por 30 minutos, para limpeza geral e desinfecção dos ambientes.
 
Toalhas de papel deverão ser disponibilizadas, além de produtos de limpeza, para que os clientes possam higienizar objetos que forem usar, como colchonetes, halteres e caneleiras. Também é obrigatória a delimitação, com fita, dos espaços para que cada aluno se exercite em áreas de peso livre.
 
Fica suspenso o uso de catracas e leitores que usem biometria, além de contato físico nas atividades desportivas. Aulas de luta e dança deverão ser feitas sem contato entre os alunos. Fica recomendado priorizar a ventilação natural. Em locais que utilizam ar condicionado, a manutenção e limpeza dos filtros de ar deverá ser diária.
 
A secretária reforça ainda que as academias deverão funcionar com apenas 30% da capacidade. “Em um primeiro momento, não poderão receber idosos. Faremos isso de forma gradual.” Celina Leão acredita que não há possibilidade de um novo fechamento. “Foi tudo feito com dados, e a gente pede que as pessoas não usem a flexibilização como forma de negligência, porque aí sim o Estado tem de intervir e tomar medidas.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade