Publicidade

Correio Braziliense

FGTS Emergencial: Caixa vai pagar R$ 700 milhões a beneficiários do DF

Trabalhadores reclamam de lentidão no aplicativo Caixa Tem para resgate do FGTS emergencial. Banco informou que registra volume atípico de transações no aplicativo nesta quinta-feira


postado em 02/07/2020 17:46 / atualizado em 02/07/2020 17:50

(foto: Diana Raeder/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Diana Raeder/Esp. CB/D.A Press)
Trabalhadores que têm direito ao FGTS Emergencial, liberado pela Caixa Econômica Federal, relatam dificuldades para acessar o aplicativo Caixa Tem, disponibilizado pelo banco para realizar transações bancárias digitalmente, sobretudo nesta quinta-feira (2).

No Distrito Federal, a Caixa vai pagar R$ 700 milhões para mais de 1 milhão de pessoas que têm direito ao saque. Uma delas é Michelli Rodrigues, 36 anos. Na última sexta-feira (26/6), a recepcionista, nascida em janeiro conseguiu verificar que tem direito a R$ 1.045, limite máximo de saque.

Porém, desde então ela não conseguiu mais acessar o aplicativo. O tempo de espera supera uma hora. Além disso, quando o prazo é alcançado, uma mensagem de que o tempo expirou aparece na tela. Desde segunda-feira (29/6), quando o valor foi liberado, ela tenta pagar um boleto. 

“Eu quero usar para pagar contas. Fiquei animada com essa liberação, esse valor ajudaria muito a diminuir algumas despesas financeiras. Mas estou passando muita raiva. Dois dias tentando acessar e nada… Na segunda, eu consegui acessar, mas tentei pagar um boleto e foi em vão, pois só dava erro. Hoje, nem consigo acessar o aplicativo”, relata.

O supervisor de segurança Cristiano Rodrigues, 39, tem enfrentando o mesmo problema. “Três dias tentando entrar no app do Caixa Tem e não dá. Ontem fiquei até de madrugada e não consegui por causa dessa fila infinita.” 

Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que não tem ainda o número total de trabalhadores que já conseguiram ter acesso ao benefício. Informou que “está processando um volume atípico de transações nesta manhã (2/7), oriundas dos créditos de programas emergenciais, somadas às rotinas mensais do banco”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade