Cidades

Irmã de 1 ano de bebê achado morto em quarto de hotel é levada para abrigo

Os pais das crianças foram presos em flagrante. Familiares da criança não foram localizados para ficar com ela

Jaqueline Fonseca
postado em 03/07/2020 17:15
A menina de 1 ano viveu ao menos 30 dias no quarto de hotel em CeilândiaO 2; Conselho Tutelar encaminhou para um abrigo a irmã do bebê encontrado morto dentro de um quarto de hotel em Ceilândia nesta sexta-feira (3/7). Ao longo de toda manhã, os conselheiros buscaram algum familiar da criança, mas não encontraram. Segundo a mãe dela - que está detida por maus-tratos, assim como pai da criança -, o parente mais próximo seria uma tia de criação que mora na região do Pombal, em Planaltina.

O conselheiro tutelar Eduardo Rezende, que atendeu a ocorrência, informou que, com as informações fornecidas pela mãe, não foi possível localizar a parente que poderia ficar com a criança. Diante disso, ela foi levada a uma casa de passagem - onde ficará por um período, em função da pandemia - e, depois será levada a um lar acolhedor ou entregue à família, caso os parentes sejam encontrados.

A criança, que tem pouco mais de um ano, viveu com os pais dentro de um quarto de hotel por pelo menos 30 dias. A mãe não tinha nenhum documento da menina, mas informou que o registro de nascimento da criança estaria na casa dessa tia que não foi localizada. O conselheiro que conversou com a mãe disse que ela não soube sabe dizer ao certo a data de nascimento da criança.

Rezende explicou ainda que, enquanto a mãe estava grávida, a equipe do Conselho Tutelar esteve com ela em uma abordagem de rua e solicitou acompanhamento mais próximo da família, além de orientar a mulher a fazer pré-natal, porém os encaminhamentos não foram cumpridos. Nesta sexta-feira, a mãe disse que o bebê morto não chegou a ser registrado.

Mãe teve o bebê no quarto do hotel

O subtenente da Polícia Militar Eduardo Lima, que esteve no local, conta que ficou impressionado com a cena ao entrar no quarto. ;O que mais me chocou nesse caso foi frieza da mãe. Eu entrei no quarto, ela estava sentada ao lado do corpo, dando bolacha de sal para a filha como se nada tivesse acontecido. Tinha roupa jogada para todo o lado, comida que precisa de refrigeração fora da geladeira e a criança comendo isso.;

A mãe, de 31 anos, e o pai, de 29, foram presos em flagrante e ouvidos pelo delegado responsável pelo caso na 15; Delegacia de Polícia (Ceilândia). Eles são investigados pelo crime de maus-tratos com resultado de morte e podem pegar de 4 a 12 anos de detenção. A audiência de custódia ainda será realizada, provavelmente neste sábado. O bebê completaria um mês de vida no domingo (5/7).

Segundo a polícia apurou, o casal passava o dia nas ruas de Ceilândia, pedindo dinheiro, e voltava para dormir no hotel. As crianças eram levadas diariamente. O bebê encontrado morto nasceu dentro do quarto. Três dias depois, a mãe já havia voltado às ruas de Ceilândia para pedir dinheiro.

O gerente do hotel onde o caso ocorreu prestou depoimento à polícia nesta manhã. Ele teria sido chamado pelo pai das crianças por volta das 7h30, quando percebeu que ela estava morta. No hotel, ninguém quis comentar o caso.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação