Cidades

Comunidades indígenas do Noroeste recebem chaves de casas provisórias

As comunidades serão transferidas para área transitória no Noroeste durante obras da W9

Alan Rios
postado em 08/07/2020 12:50
 (foto: Tatielly Diniz)
(foto: Tatielly Diniz)
Acordo entre as partes foi feito em 2019 e concretizado com a entrega das chaves hojeAs famílias das tribos Kariri-Xocó e Tuxá receberam, nesta quarta-feira (8/6), as chaves das oito casas provisórias construídas pela Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap). As residências vão permitir a transferência dos indígenas de uma área do Noroeste para outra na mesma região, possibilitando obras da via W9, futura Avenida dos Ipês.

O deslocamento foi resultado de um acordo entre as tribos, a Terracap, a Defensoria Pública do Distrito Federal, a Defensoria Pública da União, o Ministério Público Federal e a Funai. Representantes de todos os setores debateram uma solução benéfica para governo e indígenas, que foi concretizada hoje com a entrega das chaves.

As tribos receberam lotes na Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Cruls. No espaço de 14 hectares será construído, em definitivo, a Reserva Indígena Kariri-Xocó e Tuxá do Bananal-DF. A Terracap tem o prazo de um ano para implementar a infraestrutura da área, com sistema de abastecimento de água, esgoto e energia. Também serão construídas 16 unidades habitacionais, uma estrutura de guarita, um centro cultural, sete ocas pequenas, um terreiro, além de uma casa de produção de farinha para apoiar a sustentabilidade da aldeia.

Já a construção da via W9 tem como objetivo desafogar o tráfego de veículos entre o Setor de Transporte Norte (STN) e na DF 040, próximo ao Setor de Recreação Pública Norte (SRPN). ;Hoje estamos fazendo a primeira entrega concreta do cumprimento desse acordo pela Terracap, com as casas provisórias que serão ocupadas pelas comunidades indígenas. A medida permitirá que a Terracap conclua a via W9, que vai ser a principal avenida do bairro, trazendo, além de melhorias no trânsito, o desenvolvimento econômico para a região;, explicou o diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico, Leonardo Mundim.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação