Cidades

Veja fotos da naja que picou estudante em sua nova casa no Zoo de Brasília

A cobra ganhou um recinto adequado à especie nesta sexta-feira

Correio Braziliense
postado em 10/07/2020 21:12
 (foto: Ivan Mattos/Zoológico de Brasília)
(foto: Ivan Mattos/Zoológico de Brasília)
Naja que picou estudante ganha casa no Zoo de BrasíliaA naja que picou o estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck Lehm, 22 anos, ganhou casa nova nesta sexta-feira (10/7). Ela está agora em um recinto no Zoológico de Brasília. Depois que a caixa onde era mantida foi aberta, o réptil passou a explorar o local (veja fotos abaixo).

"A naja de monóculo está conosco desde a última quarta-feira e hoje, depois da avaliação incial, sua caixa foi aberta e ela acessou o recinto. O manejo ocorreu seguindo todos os protocolos de segurança e contou com uma equipe experiente em manejo de serpentes", informou o zoo, em nota.

[FOTO1634882]

No ambiente preparado para ela, a serpente conta com uma ambientação adequada para sua espécie. Segundo a instituição, tudo foi feito com o objetivo de promover o bem-estar e a qualidade de vida da naja até que se decida se ela será enviada a alugum outro zoológico ou centro de pesquisa.

A Polícia Civil investiga como a cobra veio parar no DF e trabalha com a hipótese de tráfico de animais. O estudante Pedro Henrique Lehm foi multado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) por não ter autorização para criar um animal desse tipo. Nesta sexta-feira, colegas dele prestaram depoimento à polícia de Brasília.

Serpentes e tubarão

As investigações levaram à descoberta de um criadouro clandestino de cobras, onde foram encontradas e resgatadas 16 serpentes, incluindo jiboia, cascavel e cobra-real (king snake). Todos os animais, vários deles originários de outros países, foram levados ao Zoológico de Brasília. Nesta sexta-feira, um tubarão foi encontrado na Colônia Agrícola Samambaia. Segundo o Correio apurou, a Polícia Civil acredita que os casos estão todos ligados.

Pedro Henrique entrou em coma após ser picado pela cobra, que tem um veneno que afeta as funções neurológicas do ser humano, sendo capaz de matar uma pessoa. O estudante, que ainda será ouvido pela polícia, saiu do coma e continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital do Gama. Ele deve deixar a UTI no sábado, mas permanecer internado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação