Cidades

Inaugurado nesta segunda, anexo do Hospital de Ceilândia tem 73 leitos

Unidade vai ampliar o número de leitos ofertados para pacientes da covid-19. A estrutura foi doada pela empresa JBS

Thalyta Guerra*, Cibele Moreira
postado em 13/07/2020 16:20
Nova ala do Hospital Regional de Ceilândia foi construída em estrutura modularO governador Ibaneis Rocha (MDB) inaugurou, nesta segunda-feira (13/7), o hospital acoplado ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), que irá aumentar a oferta de leitos à população infectada com o novo coronavírus. A unidade, erguida com doações da empresa JBS, vai abrigar mais 73 leitos, sendo 70 de enfermaria e três com suporte respiratório.

A nova estrutura, que fica ao lado da pediatria, tem cerca de 1.015 metros quadrados de construção. Ela contempla 54 módulos hospitalares refrigerados e uma rampa de ligação entre a unidade acoplada e o HRC.
Para o governador, essa doação agrega bastante significado devido ao momento que a população está enfrentando. ;Essa entrega feita pela JBS traduz um significado enorme para nós e a população. Essa doença não escolhe nomes, desde os mais pobres até os mais ricos, e é muito complicado tratar uma pandemia num sistema deficitário como o que tínhamos e tivemos que tornar num sistema eficiente num prazo de 120 dias. Por isso, nós nos reinventamos com essa crise para fazer a população sobreviver;, afirma.

;O hospital ganha essa expansão, gratuitamente, e de forma bastante elegante porque trata a população mais carente dessa cidade da melhor forma possível. A JBS escolheu a cidade mais carente que temos hoje, que é Ceilândia, e a mais expandida de todas elas;, completa.
Segundo o chefe da Secretaria de Saúde, Francisco Araújo, o grupo de trabalho que atua no combate à covid-19 tem produzido resultados. ;Esse hospital nunca teve tantos leitos para covid-19 como tem hoje. Esse hospital acoplado vem num excelente momento, em que nós conseguiremos fortalecer, de maneira real e transparente, as ações do governador Ibaneis;, ressalta.
Para Lucilene Florêncio, superintendente da Região de Saúde Oeste, a inauguração da nova ala é um momento histórico para Ceilândia. "Esses 73 leitos vão se juntar aos 317 que já existem no hospital e vão servir como leitos de retaguarda neste momento para a população que está muito acometida pelo novo coronavírus. Nós somos a região com o maior número de casos, já são 10 mil casos aqui", afirma.

De acordo com ela, a transferência dos pacientes que estão na emergência do hospital começará ainda nesta segunda-feira (13/7). "Queremos, até o final do dia, transferir 30 pacientes para a nova ala", afirma.
[SAIBAMAIS]Lucilene explica que os pacientes que serão atendidos na nova ala devem passar por uma triagem antes de seguir para a estrutura recém construída. "São pacientes com maior estabilidade, eles devem passar pela emergência, fazer o primeiro atendimento, fazer os exames e depois serão transferidos para cá."
Após a pandemia, a nova ala será voltada para atendimento de clínica médica, ampliando a capacidade da unidade de saúde para atender a população de Ceilândia, Sol Nascente e Pôr do Sol.

Além disso, durante a cerimônia de inauguração, o governador Ibaneis Rocha e o secretário de saúde, Francisco Araújo, assinaram uma ordem de serviço que autoriza a construção de uma Unidade de Atendimento Hospitalar na QNN 27, em Ceilândia.
*Estagiária sob supervisão de Nahima Maciel

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação