Cidades

DF registra maior número de mortes em 24 horas; total chega a 1.056

O DF registrou 46 vítimas nas últimas 24 horas, sendo cinco de outras unidades da Federação

ROBERTA PINHEIRO
Roberta Pinheiro
postado em 21/07/2020 19:40
teste covid-19Em 24 horas, o Distrito Federal registrou 41 vítimas do novo coronavírus, totalizando 1.056 vítimas. Outras cinco pessoas, moradoras de outras unidades da Federação, também não resistiram à luta contra a doença. As informações constam no mais recente boletim epidemiológico divulgado, nesta terça-feira (21/7), pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF).

Apesar de contabilizados nesta terça, os óbitos ocorreram entre 19 de junho e 20 de julho. Das 46 vítimas, 30 eram do sexo masculino e 28 tinham mais de 60 anos.

Entre as vítimas moradoras do DF, 10 moravam em Ceilândia, sete em Samambaia, seis no Recanto das Emas, cinco no Gama, quatro em Santa Maria, duas no Guará, em Planaltina e em Taguatinga e uma no Lago Sul, no Paranoá e no Plano Piloto.
[VIDEO1]Ao todo, 86.076 casos do novo coronavírus foram confirmados no DF, sendo 1.789 registrados nas últimas 24 horas. Apesar de a maioria estar recuperada da doença, 83,1% ou 71.563 contaminados, outras mais de 13 mil pessoas permanecem com o vírus ativo.

Ceilândia, com 10.907 diagnósticos positivos, lidera o ranking entre as regiões administrativas e representa 12,7% do total de casos do DF. Também é a cidade com o maior número de vítimas da covid-19, 242.

Taguatinga e Samambaia, apesar de terem menos infectados que o Plano Piloto no total, ultrapassam a região central no número de mortes. São 103 e 106, respectivamente, contra 69.

Com relação ao número de casos, o Plano Piloto permanece em segundo lugar, com 6.553, seguido de Taguatinga, com 6.008, e Samambaia, com 5.703. Fercal e SIA continuam sendo as regiões com o menor ocorrência de infectados.

Perfil dos infectados

Ao contrário do início da pandemia, quando a maioria dos contaminados era do sexo masculino, agora, com pouco mais de quatro meses da circulação do vírus na cidade, as mulheres representam 52,6% dos diagnósticos positivos, enquanto os homens somam 47,4%.

Entre as comorbidades mais presentes nos pacientes do DF, problemas cardiovasculares e metabólicos são os mais comuns.

Na linha de frente do combate ao vírus, os servidores da segurança pública e os profissionais da saúde estão expostos à contaminação. Ainda de acordo com as informações da secretaria, 893 funcionários da segurança e 3.275 da saúde testaram positivo para a covid-19.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação