Cidades

Débitos em dívida ativa podem ser parcelados em cartão de crédito

Pagamento de taxas do Governo do Distrito Federal também está liberado nessa modalidade

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 29/07/2020 17:10
Pagamento de taxas do Governo do Distrito Federal também está liberado nessa modalidadeA modalidade de parcelamento em cartão de crédito, que vem sendo gradualmente expandida pela Secretaria de Economia do Distrito Federal, já está disponível para o pagamento de quase todos os débitos administrados pelo órgão.

São três empresas credenciadas para receber o pagamento de tributos em até 12 vezes: Datalink, Vamos Parcelar e Zapay. As duas últimas estão ajustando os respectivos sistemas e, por enquanto, recebem apenas o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e a Taxa de Limpeza Pública (TLP), Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Impostos de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD).

Além dessas taxas, entram ainda parcelamentos administrativos, débitos inscritos em dívida ativa, ICMS declarado espontaneamente e lançado no Sistema Integrado de Lançamento de Créditos do Distrito Federal (Sislanca) e taxas do GDF geradas no Sislanca.

O Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ISS) autônomo ainda não pode ser pago no cartão. Tanto pessoas físicas quanto jurídicas podem fazer pagamentos de tributos no cartão.

O contribuinte ainda tem a possibilidade de realizar o parcelamento da forma tradicional, por boletos gerados diretamente no site da Receita do DF.

Quem optar pelo cartão de crédito deve fazer a negociação diretamente nos sites das credenciadas. A Receita do DF recomenda que, antes de realizar o pagamento, o contribuinte faça a simulação da operação em cada site, uma vez que as taxas cobradas podem ser diferentes. As instituições têm até 48 horas para repassar, integralmente, o valor dos tributos aos cofres públicos.
Com informações da Agência Brasília

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação