Ciência e Saúde

Casos de covid continuam a crescer, diz monitor da Sala de Situação da UnB

Alessandro Lopes foi o entrevistado do programa CB.Saúde nesta quinta-feira

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 30/07/2020 18:16
Sala de Situação da UnB foi criada para analisar e sistematizar dados que podem ser utilizados para que governo decida como reagir às emergências de saúdeDepois de quatro meses de distanciamento social, ainda não é possível que os moradores do Distrito Federal (DF) respirem aliviados. Pelo contrário, com os números de casos e mortos aumentando, a reabertura pode dificultar a queda nos dados de novos infectados. É o que explica o estudante Alessandro Igor Silva Lopes, monitor do projeto Sala de Situação de Saúde da Universidade de Brasília (UnB).
"Os casos continuaram aumentando e tendem a aumentar porque agora, com a liberação do comércio, as pessoas estão circulando;, constatou durante a entrevista ao jornalista Vicente Nunes. "Se você tem pessoas circulando, o vírus vai continuar circulando. É simples", disse.
[SAIBAMAIS]Para ele, o comportamento das pessoas ao longo do período de pandemia precisa ser visto a partir de diversos fatores, como a saúde mental e as necessidades de trabalho. O estudante também defende uma abordagem sistêmica no combate ao vírus.

"Tem que se pensar no conjunto. Analisar o território com outros agravantes para cada doença. Não faz sentido abordar somente a saúde e deixar os condicionantes que geram um agravamento de lado;, ponderou Lopes, que também apresentou na entrevista um aplicativo desenvolvido pela UnB para monitorar a saúde dos brasileinses.
Um exemplo que vai na contramão do que seria correto, segundo ele, foi o lockdown adotado apenas em Ceilândia e Sol Nascente, já que trabalhadores dessas regiões se deslocam para outras cidades do DF diariamente.
Confira a entrevista na íntegra:
[VIDEO1]
Você também pode ouvir no formato podcast:
[VIDEO2]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação