Publicidade

Correio Braziliense

Grupo Casuarina lança disco após saída de João Cavalcanti

Mesmo diante de uma variedade de estilos, prevalecem os inconfundíveis balanço e empolgação do Casuarina


postado em 11/07/2018 07:30 / atualizado em 11/07/2018 11:40

(foto: Leonardo Aversa/Divulgação)
(foto: Leonardo Aversa/Divulgação)


Quando, em novembro de 2017, João Cavalcanti deixou o Casuarina, o grupo, criado há 16 anos e com seis CDs e um DVD lançados, não tinha nenhuma dúvida de que daria continuidade a sua história. “A saída do João se deu de forma tranquila. Temos orgulho de toda a nossa trajetória com ele, mas ficamos mais unidos, pois precisávamos criar algo novo e dar um frescor ao nosso som, para apresentar aos nossos fãs”, diz o vocalista e percussionista Gabriel Azevedo.

O resultado desse posicionamento é + 100, álbum que o Casuarina acaba de lançar, em parceria com a gravadora Biscoito Fino, no qual, de acordo com o bandolinista, violonista e vocalista João Fernando, manteve a linha que o conjunto vinha seguindo ao longo da carreira, “flertando com os diversos sotaques e estilos que formam o grande gênero que é o samba”.

Em discos anteriores, havia o registro de composições autorais e regravações de clássicos. Desta vez, Gabriel, João Fernando, Daniel Montes (violão 7 cordas e arranjos) e Rafael Freire (cavaquinho e banjo e vocal) fizeram um disco totalmente de intérprete, dando voz a novas composições. “Entramos em contato com os compositores que conhecíamos melhor e eles avisaram a outros. Assim foi se formando uma rede que acabou nos alimentando de muita coisa boa”, destaca Gabriel.

Mesmo diante de uma variedade de estilos, em função dos múltiplos autores gravados, prevalecem os inconfundíveis balanço e empolgação do Casuarina. Trago no meu pandeiro, de Rogê, Marcelinho Moreira e Fadico, abre o repertório, que traz na sequência Tempo bom na maré, composta pelo mestre do samba de roda da Bahia Roque Ferreira e pelo consagrado Ivo Lancellotti; Eta lelê, dos bambas Claudemir e Serginho Meriti; Um samba de saudade (Chico Alves e Toninho Geraes) e Herança de partideiro (Hamilton Fofão e Ivani Ramos).

No 100, há a participação de Martinho da Vila, Leci Brandão, Criolo e Geraldo Azevedo. “Cada um dos convidados tem uma história diferente conosco. Martinho da Vila é referência para qualquer artista que toca ou canta samba. A faixa Tempo bom na maré tem tudo a ver com o estilo dele. Leci esteve com o grupo no DVD Cidade do samba e participou de alguns shows nossos. Embora mais ligado ao rap, Criolo já participou de um show com a gente e manda muito bem no samba. Já Geraldo Azevedo é voltado para as tradições nordestinas, mas mostrou categoria cantando Embira. Ficamos muito felizes com a participação dos quatro”, comemora João Fernando.

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)

100
CD do grupo Casuarina, com 12 faixas. Lançamento da Biscoito Fino. Preço sugerido, R$ 24,90.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade