Publicidade

Correio Braziliense

Dan Reynolds, do Imagine Dragons, critica Emimen por letra homofóbica

Rapper lançou álbum na última sexta-feira (31/9) com faixas que contém xingamentos homofóbicos


postado em 04/09/2018 17:20 / atualizado em 04/09/2018 17:20

Roqueiro foi ao Twitter comentar o trabalho do rapper(foto: REUTERS/Steve Marcus (UNITED STATES))
Roqueiro foi ao Twitter comentar o trabalho do rapper (foto: REUTERS/Steve Marcus (UNITED STATES))


Dan Reynolds, vocalista da banda Imagine Dragons, foi a público criticar Eminem por usar letras homofóbicas no repertório do novo álbum, o disco Kamikaze. “Pessoas LGBTQ estão se matando depois de sofrer bullying com essas referências homofóbicas”, escreveu o cantor em um perfil do Twitter.

E o roqueiro não parou por ai. Reynolds, em uma série de posts, ainda apontou que a dominância de Eminem no mundo da música não justifica nenhum ato preconceituoso, e que liberdade artística não pode ser confundida com direito de ser homofóbico.

“É repulsivo para mim ouvir que estou sendo 'muito sensível', ou um 'millennial'. Se defender contra preconceitos e lutar contra esse ódio que se perpetua por anos não é ser 'muito sensível'”, afirmou o cantor.

“Eu vivi muito tempo para ficar em silêncio em relação a isto por medo de pessoas com falta de educação. Eu não vivo em medo mais. Eu tenho muito o que aprender, mas não. Eu não vou ficar em silêncio com toda a voz que essa plataforma me deu”, completou Reynolds.
 
 
 
 

Repercussão

Reynolds não foi o único a criticar o conteúdo preconceituoso do álbum Kamikaze. O rapper Tyler, The Creator, foi outro que apontou os problemas com as letras preconceituosas de Eminem.

Justin Vernon, do Bon Iver, também foi ao Twitter comentar sobre o novo trabalho de Eminem, afirmando: “Não sou um fã da mensagem, é apenas cansativa. Vou pedir para mudarem o disco. Não vou ouvir”.

Após isso, o músico comentou que Eminem é um grande artística, mas falha ao compor faixas preconceituosas: “Esse não é tempo de criticar a juventude, é tempo de ouvir, de agir. Certamente não é o tempo para insultos”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade