Publicidade

Correio Braziliense

Ator José Mayer deixa emissora Globo dois anos após denúncias de assédio

De acordo com comunicado da assessoria da empresa, a saída do ator foi feita em 'comum acordo'


postado em 16/01/2019 16:24 / atualizado em 16/01/2019 16:24

José Mayer no último trabalho na tevê até o momento: a novela 'A lei do amor'(foto: Paulo Belote/Divulgação)
José Mayer no último trabalho na tevê até o momento: a novela 'A lei do amor' (foto: Paulo Belote/Divulgação)
José Mayer deixou a Rede Globo de Televisão. Segundo informações da própria assessoria de imprensa da empresa carioca divulgada nesta terça-feira (15/1), o ator saiu do canal em um “comum acordo”. Há dois anos o ator sofreu uma acusação de assédio por uma figurinista, e posteriormente foi colocado na “geladeira” da emissora.

No comunicado, a Globo fez questão de citar a trajetória do ator na casa, que já durava 35 anos: “Depois de mais de 35 anos de uma trajetória iniciada na novela Guerra dos sexos, em 1983, com participação em mais de 40 obras, entre novelas, séries, minisséries e especiais, a Globo e o ator José Mayer informam o fim da parceria, de comum acordo, no final de 2018”.

O caso

A acusação contra Mayer ocorreu ainda no fim de 2017. Na ocasião, o caso virou um escândalo público, tendo em vista a posição do ator como um dos maiores do país. Ao mesmo tempo, várias atrizes foram a público com a campanha #ChegaDeAssédio.
 
Entretanto, ainda teve quem defendesse Mayer, como o autor Aguinaldo Silva, que ainda na segunda-feira (14/1) foi ao Twitter comentar o caso: “Não há crime se não há queixa à polícia nem denúncia na Justiça, por isso... Volta, José Mayer!”.



O último trabalho do ator na emissora foi na novela A lei do amor, exibida entre 2016 e 2017.

Em abril de 2017 Mayer escreveu uma carta aberta pedindo desculpas pelo ocorrido: “Eu errei. Errei no que fiz, no que falei, e no que pensava. A atitude correta é pedir desculpas. Mas isso só não basta. É preciso um reconhecimento público que faço agora. Mesmo não tendo tido a intenção de ofender, agredir ou desrespeitar, admito que minhas brincadeiras de cunho machista ultrapassaram os limites do respeito com que devo tratar minhas colegas”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade