Publicidade

Correio Braziliense

Sandy e Junior fazem a alegria dos fãs brasilenses no Mané Garrincha

Irmãos subiram ao palco com cerca de 40 minutos de atraso, mas o público nem se importou e os recebeu com emoção e muitos gritos


postado em 20/07/2019 23:58 / atualizado em 20/07/2019 23:59

(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
Quase 40 minutos depois da hora prevista, a dupla Sandy e Júnior subiu ao palco montado no Estádio Mané Garrincha por volta das 21h40, para delírio dos fãs que aguardavam ansiosamente o show Nossa história. Quase 12 anos depois de se apresentar na capital, com a turnê Acústico MTV, os irmãos foram recebidos com aplausos e — muitos — gritos pelos fãs brasilienses, que pareciam não se importar nem um pouco com o atraso.
 
Em alto e bom som, o público de Brasília cantou junto com a dupla. Com uma super produção, os irmãos voltaram à Brasília em uma apresentação com direito a fogos, luzes de led, cores, troca de figurino, bailarinos e muita emoção.
 
Em vários momentos, os dois ressaltaram que a série de apresentações deste ano era um sonho vivido junto com os fãs. “É uma maneira de agradecer”, afirmou Sandy. Com Não dá para não pensar em você, os dois subiram ao palco. Ao todo, foram duas horas de show e 26 canções. “Deu muito trabalho preparar essa turnê, mas o maior trabalho foi escolher o repertório”, disse a cantora. 
 
Apesar do mistério e da expectativa que envolvia a apresentação, o espetáculo não mudou muito das primeiras apresentações em outros estados. O show percorreu todas as fases da carreira dos irmãos. Grandes hits como Estranho jeito de amor, As quatro estações, Imortal e A lenda estiveram presença no repertório. 
 
Ver galeria . 14 Fotos Minervino Junior/CB/D.A Press
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press )
 
 
Sentados na beira do palco, acompanhados apenas de voz e violão, eles relembraram o começo da carreira. Imagens interativas e registros de arquivo da trajetória musical de Sandy e Junior ambientaram o espetáculo. 
 
Além da super produção e cenografia moderna, os figurinos chamaram a atenção. Os irmãos apostaram em brilhos e couros, indo da influência sertaneja ao pop. Os bailarinos também fizeram um show à parte, com direito a coreografias clássicas de Love never fails e Dig dig joy.
 
Assim como antes, Sandy e Junior estavam acompanhados da banda formada por Marinho Lima (bateria), Gil Fonseca (guitarra), Erik Escobar (teclado), Milton Guedes (Sax), Dudinha (baixo) e Edu Tedeschi (guitarra).

Movimentação desde cedo

O público começou a chegar cedo. Por volta das 13h, a movimentação do lado de fora do estádio era grande, graças a fãs como a administradora Camila Martins, 30 anos, que veio de Goiânia. "Não vejo a hora de poder ouvir as músicas ao vivo de novo. Será uma nostalgia", disse.

Para muitos, porém, esta foi a primeira oportunidade de acompanhar um espetáculo de Sandy e Junior. "Acompanho os dois desde 2000, mas nunca tive condições de ir ao show", contou Flávia Lásara, também de 30 anos".

Para alguns fãs, a saudade terminou mais cedo. Aqueles que adquiriam um pacote especial puderam acompanhar a passagem de som no fim da tarde. Ali, a dupla apresentou três músicas — Estranho jeito de amar, Nada vai me sufocar e Love never fails — e Junior fez um solo de bateria. Mas quem quase roubou a cena foi o pequeno Otto, filho do cantor que, mesmo ao 1 ano de idade, já se aventura nas baquetas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade