Publicidade

Correio Braziliense

Grupo de pagode de Brasília acusa Naiara Azevedo de plágio em música

Cantora sertaneja gravou clipe da música que foi lançada em maio pelos músicos brasilienses


postado em 09/10/2019 10:32 / atualizado em 10/10/2019 16:35

De acordo com o Di Propósito, nem a Naiara e nem o Dilsinho entraram em contato com o grupo(foto: Reprodução/YouTube)
De acordo com o Di Propósito, nem a Naiara e nem o Dilsinho entraram em contato com o grupo (foto: Reprodução/YouTube)
Uma polêmica no mundo da música toma conta das redes sociais desde a noite desta terça-feira (8/10). O grupo de pagode Di Propósito, daqui de Brasília, acusa a cantora Naiara Azevedo de plágio nos arranjos da música Manda áudio, de que a sertaneja gravou um clipe ao lado do pagodeiro Dilsinho.

Os músicos brasilienses lançaram a música dos compositores Cláusio Dutra, Bruno Mandioca e João Matheus em maio deste ano.

Apesar de a gravação do clipe de Naiara ter sido feito nessa terça-feira, a equipe do Di Propósito diz que reconheceu os arranjos, feitos por Boris e Jota Moraes, em trechos dos bastidores publicados nas redes sociais (veja abaixo).

“Por que não fomos convidados? Naiara Azevedo e Dilsinho manda áudio. Não tínhamos noção de onde nosso som está chegando e que está agradando tanto as pessoas. Inclusive, regravando com o mesmo arranjo, né? Criatividade! Teria mais a ver se tivesse nos convidado né Naiara? Haha Quem concorda? Não recebemos este áudio”, reclamou o grupo em rede social.


Ao Correio, o pandeirista do grupo, Xande de Castro, diz que o grupo tomou conhecimento do caso após várias pessoas começarem a mandar mensagens. "A gente não está acusando (Naiara) de ter roubado, nem nada disso. Eles poderiam até gravar a letra tranquilo, porque o compositor pode vender já que a gente não tinha exclusividade (na compra da letra), mas o arranjo é o mesmo que o nosso, aí já não podia usar. Ficou o seguinte: o Di Propósito tocando e a Naiara cantando”, alega.

 

Ainda de acordo com Xande, nem a Naiara e nem Dilsinho entraram em contato com o grupo e que só um dos compositores falou com o grupo sobre uma “falha de comunicação” . “A gente ainda não sabe muito o que fazer, a gente não quer brigar. É só importante lembrar que eles não poderiam ter pegado o arranjo", reitera.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da cantora Naiara Azevedo, mas ainda não recebeu um retorno. Mas, na manhã desta quarta-feira (9/10), Naiara postou uma série de stories no Instagram para se defender. A cantora afirmou que já sabia que a música tinha sido gravada pelo grupo brasiliense, mas que nunca tinha ouvido e que comprou os direito autorais e de exclusividade da canção. Ela também elogiou e disse que passou a ser fã do Di Propósito, mas lamentou a publicação em rede social "por não ter de irregular."

Naiara também postou o contrato de direito autoral da música, mas com erro de português (foto: Reprodução/Instagram)
Naiara também postou o contrato de direito autoral da música, mas com erro de português (foto: Reprodução/Instagram)


“Eu só ouvi uma versão dos compositores que foi de quem recebi. Eu falei que ia gravar e paguei. A música não é do grupo de pagode. Eu não roubei a música de ninguém”, afirma. Sobre os arranjos da música, a sertaneja reafirmou que não conhecia a versão. “Eu não toco instrumento nenhum. A música não está terminada e nem foi lançada. Nem a voz que eu gravei (no clipe) é definitiva”, destacou a cantora. Naiara também destacou que Dilsinho era apenas convidado na música.


Veja o clipe de Manda áudio gravado pelo Di Propósito

 

 

Veja os bastidores da gravação de Naiara Azevedo

 
 
Na tarde da quarta-feira (10/10), a assessoria de imprensa do grupo Di Propósito enviou uma nota de esclarecimento. Confira na íntegra:

"A banda Di Proposito esclarece que em nenhum momento acusou a cantora Naiara Azevedo de roubar a música “Manda áudio”. O grupo tem consciência de que a canção poderia ser regravada, pois foi obtido o direito de liberação simples da música. No entanto, a reivindicação é a respeito do arranjo, que foi feito por pessoas contratadas, juntamente com a idealização dos integrantes da Di Proposito. O que se percebeu foi a grande semelhança entre os arranjos das duas versões da música “Manda Áudio”. Reiteramos que não houve acusação de roubo de música, o que questionou-se foi apenas o uso do mesmo arranjo na gravação." 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade