Publicidade

Correio Braziliense

Paulinho Pedra Azul faz show para celebrar os 30 anos do Feitiço Mineiro

Nas comemorações dos 30 anos do Feitiço Mineiro, estrela do Jequitinhonha se apresenta com um repertório recheado de sucessos


postado em 10/10/2019 06:55

Paulinho Pedra Azul celebra 35 anos de carreira:
Paulinho Pedra Azul celebra 35 anos de carreira: "Eu me recordo da primeira vez em que cantei no Feitiço" (foto: Ludmila Loureiro/Divulgação)

A trajetória artística de Paulinho Pedra Azul está intimamente ligada a Brasília. O cantor e compositor mineiro, originário do Vale do Jequitinhonha, tem se apresentado na cidade desde o começo da década de 1980, logo após lançar Jardim da fantasia, o disco de estreia. Aqui conquistou muitos fãs e fez incontáveis amigos.

Feitiço Mineiro é o lugar onde ele mais tem se apresentado na cidade. “Eu me recordo da primeira vez em que cantei no Feitiço. Fiz um show na Sala Villa-Lobos e o Jorge Ferreira foi assistir. No encerramento, ele foi falar comigo no camarim e me levou para a casa que ele havia aberto há pouco tempo. Naquela mesma noite, fiz uma apresentação informal no Feitiço”, lembra.

Para se ter ideia, o artista participou das 10 últimas comemorações do aniversário do bar e restaurante da 306 Norte; e é sempre um momento muito aguardado pelos frequentadores do local. Como era de se esperar, ele está de volta, como uma das atrações da celebração dos 30 anos.

“Fiquei muito feliz quando o Jerson Alvim me ligou, convidando para tomar parte da programação que comemora esta data importante tanto para o Feitiço, quanto para a música na capital, uma vez que se trata de um palco tradicional, por onde já passaram pelo palco alguns dos nomes mais importantes da MPB”, destaca Paulinho, que sempre traz um show intimista cheio de causos e brasilidade.

Quatro estações


Ele vai aproveitar para festejar com o público seus 65 anos de idade e fechar o ciclo dos 35 anos de carreira. “Para comemorar esse período da minha ligação com a música, gravei quatro CDs, que levam o nome das quatro estações. Já lancei o Verão, Outono e Primavera; e até o final de novembro lanço o Outono”, conta.

“Nesses álbuns registrei canções que cantei em discos de cantores e compositores amigos, de várias regiões do país. A maioria é de mineiros, entre eles Wagner Tiso, Tadeu Franco, Juarez Moreira, Dércio Marques, Rubinho do Vale, Afonsinho e Padre Fábio de Melo. Há também os baianos João Omar e Diana Pequeno; os cearenses Fagner, Rodger, Teti e Nonato Luis; maranhense Djalma Chaves; o paraense Eudes Fraga e os brasilienses Sthel Nogueira e Zelito Passos”, relaciona.

Músicas dos quatro discos do projeto Estações, porém, não devem ser incluídas no repertório do show comemorativo no Feitiço Mineiro. “Vou cantar canções que são conhecidas das pessoas, até porque é um show intimista, de voz e violão, em que me deixo levar pelo coração. Quero que o público cante comigo. Assim, não podem faltar Jardim da fantasia, Cantar, Recado para um amigo solitário e a minha versão para Something, dos Beatles, com meu inglês valejeticonhonhez”, anuncia em tom brincalhão.

Há algum tempo sem lançar disco de composições inéditas, Paulinho anuncia para o próximo ano um novo trabalho (além do Outono). “Está em fase de pré-produção um CD em que 17 parceiros musicaram letras de minha autoria. Estou tentando viabilizar também um DVD com o registro do show que fiz no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, com a participação de Rogério Flausino (Jota Quest), Padre Fábio de Melo, Célio Balona e Aggeu Marques, líder da banda Yesterday, que faz cover dos Beatles”, adianta.


Paulinho Pedra Azul

Show de voz e violão do cantor e compositor mineiro amanhã e sábado, às 22h, no Feitiço Mineiro (306 Norte). Ingressos: R$ 25 (parte externa) e R$ 35 (parte interna). Informações e reserva de mesa pelo telefone 3272-3032. Não recomendado para menores de 18 anos.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade