Publicidade

Correio Braziliense

Conheça MC Tha, cantora que produz som único e é aposta musical para 2020

Trabalho da artista tem influências da MPB, das batidas de funk e da tradição africana


postado em 16/03/2020 10:10 / atualizado em 16/03/2020 10:10

A cantora MC Tha inova no cenário pop ao unir música e religião(foto: Um nome comunicação/ Divulgação)
A cantora MC Tha inova no cenário pop ao unir música e religião (foto: Um nome comunicação/ Divulgação)
Thais Dayane da Silva, 26 anos, mais conhecida como MC Tha, nasceu e foi criada na Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo. Ela iniciou a carreira aos 15 anos, se apresentando em bailes funks da capital como MC. Aos 18 anos, Thais “adormecia” o sonho da música para dar vez a outro sonho: a faculdade. A cantora ingressou na faculdade de jornalismo e passou a trabalhar em um projeto social e cultural. Mais tarde, em 2014, MC Tha retorna à música com o single Olha quem chegou, um funk com pegada melody, produzido por Jaloo. A faixa veio acompanhada de um videoclipe e apresentou Tha para o público.

Quatro anos depois, em 2018, a cantora investe novamente em um lançamento, o EP Versões. A MC apresentou o projeto com quatro faixas: Pra você, Valente, Bonde da pantera e Olha quem chegou. No entanto, o momento de ascensão de Tha se deu em meados do ano passado, com o lançamento do álbum de estreia, Rito de passá.

MC Tha lançou o primeiro disco há oito meses e segue colhendo os frutos dessa produção. Misturando as batidas do funk com batuques da capoeira e da umbanda alinhados a MPB, a cantora é destaque no cenário musical atual e promete se destacar ainda mais em 2020. Lançado totalmente independente, o disco conta com 10 faixas e simboliza uma imersão nos sentimentos da cantora, divididos entre a música e a religião.

“O processo de composição do álbum foi uma coisa muito natural, já que ele todo é feito de composições que eu já tinha e que fui fazendo no decorrer desses quase cinco anos em que voltei a cantar. Comecei a lançar os singles soltos e fui entendendo para qual caminho eu queria levar o meu trabalho. Então, tem música que tem cinco anos já, e músicas novas, que não têm nem um ano. Foi um processo de ir compondo, guardando, entendendo o que eu podia lançar de imediato e o que eu queria guardar para o meu álbum; seguiu de uma forma muito natural”, conta MC Tha.

A relação do trabalho da cantora com a crença fica nítida já na fotografia da capa de Rito de passá: MC Tha é Iansã, caracterizada por ser senhora dos ventos e das tempestades, guerreira, valente, independente e com temperamento forte. Representada pela cor vermelha nas guias, a Orixá rege o amor forte. Marca que a MC também levou para os palcos, visto que a cantora sempre se apresenta com figurino vermelho ou branco.

Reflexo da qualidade do disco de Tha, está as inúmeras apresentações. A artista que se apresentou no início do ano em Brasília, no Favela Sounds e neste mês no festival GRLS, está escalada na programação do festival Lollapalooza Brasil 2020, além de diversos shows solos pelo Brasil.

“Neste ano, quero continuar trabalhando nas coisas do álbum, só que trabalhar nas coisas visuais. Botar em prática as ideias que tenho de roteiro, para os clipes, quero que tudo seja bem bonitinho, bem interligado. Então, em 2020, quero trabalhar isso e também de possibilidades de parcerias com artistas que eu gosto que tem a ver com o meu trabalho, e que podem me ajudar a contar essa história e fazer esse caminho”, revela a cantora.

Entre os projetos lançados nesse ano está o clipe da faixa Coração vagabundo, divulgado em 13 de fevereiro e já marca mais de 145 mil visualizações. O vídeo, que foi roteirizado por MC Tha, integra o conjunto de obras visuais que acompanhará o álbum Rito de passá. O clipe brinca com o imaginário das simpatias ao santo casamenteiro, Santo Antônio, enquanto Tha passeia pela Cidade Tiradentes em busca de um amor.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade