Diversão e Arte

Sextas Musicais apresenta 'Sertão Cerrado' no CTJ Hall

Marcello Linhos, Adriana Nunes, Nelson Latif e Marcelo Lima compõem o espetáculo que celebra a cultura popular do sertão com música, histórias e poesia

Correio Braziliense
postado em 07/07/2020 10:00
 (foto: Mariana Galiza/Divulgação)
(foto: Mariana Galiza/Divulgação)
Marcello Linhos, Adriana Nunes, Nelson Latif e Marcelo Lima compõem o espetáculo que celebra a cultura popular do sertão com música, histórias e poesia
O espetáculo Sertão Cerrado sobe ao palco do CTJ Hall, em 10 de julho, a partir das 20h, para uma live streaming da Sextas Musicais, transmitida pelo canal da Casa Thomas Jefferson, no YouTube. Marcello Linhos, Adriana Nunes, Nelson Latif e Marcelo Lima trazem ao público músicas e histórias para celebrar a cultura popular, os costumes do sertão e a poesia brasileira.

A atriz e fundadora da Cia de Comédia Os Melhores do Mundo, Adriana Nunes detalha o contexto de Sertão Cerrado que remete à época do Brasil colonial. ;É uma época onde a simplicidade e a sinceridade reinavam, valores nobres eram passados de geração em geração por meio de contos ou causos em intermináveis conversas nas varandas ou ainda por meio de canções que enalteciam o amor e o sertão;, observa a atriz, por meio de nota.

[SAIBAMAIS]Inspirado na atmosfera lúdica do show, Marcello Linhos, violeiro, cantor e também integrante da Cia. Os Melhores do Mundo, inclui canções como, por exemplo, Viola quebrada (Mário de Andrade), Tristezas do Jeca (Avelino de Oliveira) e Rosa (Conde Affonso Celso Júnior), além de canções autorais e clássicos de Luiz Gonzaga e Dominguinhos, adicionados ao repertório, especialmente para o show do CTJ Hall. ;O resgate dessa musicalidade para os dias atuais tem como principal objetivo reconectar os nossos corações ao sentimento caipira que está dentro de cada um de nós, um sentimento essencial, tão simples e ao mesmo tempo tão rebuscado que é o amor;, detalha Linhos, também por nota.

A apresentação tem apoio da Casa Thomas Jefferson, em parceria com a Embaixada dos EUA, também como uma homenagem a Brasília, no ano em que a capital completa seis décadas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação