Publicidade

Correio Braziliense

''Não houve frustração nenhuma'', diz Bolsonaro sobre megaleilão do pré-sal

Para o presidente, apesar de o governo ter levado R$ 79 bilhões dos R$ 106,5 bilhões previstos inicialmente, o leilão ''foi um sucesso''


postado em 06/11/2019 20:00 / atualizado em 06/11/2019 21:06

(foto: Isac Nóbrega/PR)
(foto: Isac Nóbrega/PR)
A avaliação do presidente Jair Bolsonaro com o resultado do megaleilão do pré-sal, que rendeu R$ 70 bilhões ao governo federal na manhã desta quarta-feira (6/11), foi positiva. Apesar de a União ter arrecadado menos recursos com a cessão onerosa do que previa inicialmente — R$ 106,5 bilhões —, para o chefe do Palácio do Planalto “não houve frustração nenhuma, zero”.

“Tinha quatro áreas, foram vendidas duas. Foi um sucesso”, disse Bolsonaro, no início desta noite. "Foi menor que o previsto, lógico que o dinheiro será menor. O campo mais importante foi vendido. No meu entender, foi um sucesso. O dinheiro é bem-vindo", acrescentou.

A Petrobras foi a única vencedora do megaleilão, sem pagar qualquer ágio ao arrematar as duas áreas nas quais exerceu o direito de preferência — Búzios e Itapu —, com duas empresas chinesas como sócias em Búzios, cada uma com 5% e a estatal com 90%. As demais áreas — Atapu e Sépia — não tiveram ofertas. 

Do valor total de R$ 70 bilhões em bônus de assinatura, R$ 34,1 bilhões serão pagos à própria Petrobras pelo acordo da cessão onerosa. Os R$ 36 bilhões restantes serão divididos conforme determinado em lei: 15% para estados; 15% para municípios; 3% adicionais para o Rio de Janeiro, por ser o estado produtor; e 67% para União. 

Assim, estados e municípios vão levar R$ 10,8 bilhões, o Rio de Janeiro ficará com R$ 1 bilhão, e a União, com R$ 24 bilhões.

Com o mesmo discurso, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, disse que “o leilão do pré-sal foi um sucesso”. “De forma alguma consideramos que tenha havido um insucesso. Consideramos, sim, que foi exitoso o leilão. Temos expectativas futuras sobre dois outros postos que não foram neste momento incluídos no processo, para que futuramente venham ser novamente apresentados”, comentou. 

De acordo com Rêgo Barros, “este foi o maior leilão deste tipo no mundo”. “Temos que entender que havia expectativas levantadas em torno de R$ 100 bilhões, atingimos R$ 70 bilhões. O governo, os estados, os municípios receberão essa parcela dentro dos percentuais já elencados e informados à sociedade. De forma alguma consideramos que tenha havido um insucesso”, garantiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade