Publicidade

Correio Braziliense

MEC criará 500 novas escolas públicas com ensino médio em tempo integral

Com orçamento de R$ 80 milhões, a medida vai ampliar em quase 50% a oferta no ensino integral nos últimos anos escolares


postado em 06/11/2019 17:40 / atualizado em 06/11/2019 20:36

(foto: Arquivo/Agência Brasil )
(foto: Arquivo/Agência Brasil )
O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta quarta-feira (6/11) a criação de 500 novas escolas em 2020, que ampliarão a oferta do ensino médio integral. De acordo com o MEC, a medida vai ampliar em quase 50% a oferta do ensino integral nos últimos anos escolares. Desde 2017, 1027 escolas de ensino médio integral foram criadas. 

Para isso, a pasta investirá R$ 80 milhões nesta operação e prevê que 40 mil alunos serão beneficiados. Segundo o secretário de Educação Básica (SEB), Janio Macedo, estudos feitos pela pasta mostram a falta de atratividade no ensino médio.
 
“Começamos a perder o aluno nos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio ou por abandono ou por repetência. Nós estamos precisando descobrir uma metodologia de ensino que efetivamente faça que ele se interesse pelos estudos”, explica. 
 
Por isso, a pasta admite ser importante a implementação de novidades no ensino médio. A proposta do ensino médio integral amplia a carga horária destes estudantes de 4 para, no mínimo, 7 horas diárias. As instituições que aderiram o ensino médio integral têm carga horária superior a 35 horas semanais. 

Educação em prática 

Outra proposta anunciada nesta quarta-feira (6/11) para ajudar a estimular os alunos e professores do ensino médio é o programa Educação em Prática, que abre as portas de faculdades para alunos do ensino básico. 

O objetivo é fazer com que as universidades interessadas em abrir as portar para os alunos disponibilizem professores e espaços físicos, como laboratórios e quadras de esporte. 

2152 instituições de ensino superior privadas, 296 universidades públicas, 38 institutos federais e dois centros federais de educação tecnológica poderão aderir o programa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade