Ensino_EducacaoBasica

Coronavírus: confirmada suspensão de aula em escolas; UnB mantém calendário

Universidade decidiu manter as atividades e informou que acompanha com "atenção e responsabilidade" as atualizações a respeito do Covid-19; em algumas universidades particulares não haverá aulas

Thais Umbelino
postado em 11/03/2020 21:55
 (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe) informou que as escolas privadas devem acatar a determinação do GDF e suspender as aulas devido aos casos confirmados de infecção por coronavírus. Já a Universidade de Brasília (UnB), instituição federal regida pelas regras da União, não interromperá as atividades e informou que monitora, "com atenção e responsabilidade" as atualizações a respeito do Covid-19.
UnB  informou que não vai suspender calendário acadêmico
Em vídeo, Álvaro Domingues, presidente do Sinepe-DF, confirmou que a medida, anunciada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) nesta quarta-feira (11/3), será acatada pelas escolas particulares. A decisão do governador foi anunciada às 21h de hoje, em edição extra do Diário Oficial do DF (DODF). "Imagino que deve ter um motivo muito plausível para uma decisão tão intempestiva em um momento tão abrupto. Nós sabemos que vai repercutir na vida de cerca de 600 mil estudantes e quase um milhão de famílias", disse o presidente do Sinepe.
"Temos que cumprir o decreto. E funcionaremos, obviamente, de forma precária. Não sabemos se há algum tipo de sanção à escola que funcionar", acrescentou Álvaro.
Em nota, enviada ao Correio, a Administração Superior da Universidade de Brasília informou que monitora a situação e que, "se houver qualquer mudança quanto às atividades acadêmicas, a comunidade será imediatamente informada".
Alguns centros de ensino superior particulares, entretanto, anunciaram a suspensão de aulas, entre eles o Iesb e a Estácio.
[SAIBAMAIS]

Prevenção

Nesta semana, a UnB anunciou a criação do Comitê Gestor do Plano de Contingência em Saúde do Covid-19, para acompanhar a evolução do vírus na capital e no Brasil, além de dar orientações sobre o tema. Criado pelo Decanato de Assuntos Comunitários (DAC), o grupo é formado por especialistas de diversas áreas e tem como referência posicionamentos dos órgãos oficiais de saúde: Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde (OMS) e Secretaria de Saúde do DF.

As principais orientações dada aos alunos são o cuidado com a higiene respiratória e das mãos. É recomendado acompanhamento aos estudantes que tenham voltado do exterior por 15 dias. Além do monitoramento diário, o Comitê tem se reunido com regularidade e expedido notas à comunidade acadêmica.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação