Ensino_EducacaoBasica

Saeb: especialistas em educação avaliam impactos do novo sistema

Novidade chega para redefinir os rumos da educação brasileira e pode se tornar um Enem com cara de PAS: seriado

Lorena Fraga*
postado em 07/05/2020 20:27
Entidades e especialistas em educação repercutem o lançamento do novo Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). A nova versão foi lançada pelo Ministério da Educação (MEC) na quarta-feira (6/5). Reformulado, o Saeb pode ser uma alternativa ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tradicional e permitir que a prova seja realizada em etapas.
Ricardo Henriques recomenda precaução na implementação do sistema devido à pandemiaO economista e superintendente executivo do Instituto Unibanco, Ricardo Henriques, diz que o Saeb foi um marco nas métricas de avaliação da qualidade da educação brasileira. ;O Brasil conseguiu entrar em um hall importante dos sistemas de avaliação internacionais;, comenta.

Agora, 30 anos depois da criação, o Saeb passou por uma reformulação, e o novo sistema promete expandir o método de avaliação para todas as séries e com uma novidade ainda maior: o Enem seriado.

;As principais mudanças são a possibilidade de conseguir fazer avaliações ao longo de ciclos e todas as séries do ensino médio, incorporar outras ciências, além de língua portuguesa e matemática, caminhar para o modelo digital e ter avaliações adaptativas;, diz Ricardo.

Mas, devido à pandemia do novo coronavírus, o economista recomenda cautela na implementação do sistema. ;Colocar a nova avaliação em marcha em 2021 depende de realizar uma série de ações que já não são possíveis nesse ano tão conturbado de 2020.; Porém, ele acredita que, apesar dos desafios, as mudanças estão na direção certa.

Ricardo ainda pontua que o principal desafio do novo sistema, além de melhorar a conectividades dos estudantes para que possam realizar as provas na versão digital, é garantir que o sistema de avaliação siga a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

;Aquele paradoxo que o rabo abana o cachorro, o que temos hoje é uma maturidade institucional para que o cachorro abane o rabo, que a base defina o sistema de avaliação, sobretudo as avaliações que ocorrem nas escolas que não estão conseguindo captar a evolução dos estudantes, quanto às avaliações internas;, pontua.

Quanto ao Enem seriado, o especialista afirma que a prova tem potencial de diminuir o estresse sobre os estudantes e aumentar o foco dos educadores. ;Poderemos ter professores se dedicando menos às avaliações feitas ao longo do ano (trimestrais ou bimestrais) e focando mais a avaliação final;.

Esperança de melhora

Esmeralda Macana avalia que um ponto forte do novo sistema é a possibilidade de uma devolutiva mais rápida para as instituições de ensino

Esmeralda Macana, economista formada pela Universidade de La Salle (Bogotá-Colômbia) e especialista em monitoramento e avaliação do Itaú Social, acredita que o sistema vai proporcionar maior qualidade da educação, desde que avancemos na implementação da BNCC, documento que orienta e direciona sobre o que o aluno deve aprender.

;Quanto mais rápida for a devolutiva, melhor as redes de ensino vão conseguir reagir e dar uma resposta aos problemas;, pontua. ;Há um distanciamento dos adolescentes da escola. Diante do cenário que estamos vivendo de pandemia do novo coronavírus, nós não sabemos o que acontece dentro das famílias para motivar isso. Portanto, essa avaliação mais frequente vai ajudar a ter uma noção para seguir um caminho por uma educação de qualidade, diminuindo a evasão;, espera.

Para ela, o trabalho conjunto entre estados e municípios é fundamental. ;Depende dessa colaboração para as redes poderem adotar o sistema e utilizar os dados, os professores entenderem o impacto e adotarem as estratégias de reparação. Principalmente após esse período de pandemia, para evitar evasão e abandono;, destaca.

É importante ressaltar que o Enem tradicional não deixará de existir. O Enem seriado é apenas mais uma porta de entrada ao ensino superior. Pelo menos enquanto nada diferente for anunciado, o Enem tradicional continuará a ser aplicado normalmente, nas versões impressa e digital. Bem como o Programa de Avaliação Seriado da Universidade de Brasília (PAS/UnB), a não ser que a instituição decida mudar isso.

Setor particular aprova

Clayton Silva acredita que o Enem seriado será mais uma motivação para estudantes em fase de vestibularClayton da Silva Braga, diretor-financeiro do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF), se preocupa com o ranqueamento das escolas que pode decorrer do novo Saeb. ;Sabemos que cada comunidade é uma, mas, se os dados foram entregues às escolas e derem oportunidade de os gestores melhorarem suas ações pedagógicas, só tem a acrescentar;, pondera.

O diretor se mostra positivo quanto a outras novidade do sistema, como o Enem seriado. ;Isso gera uma expectativa muito grande para o estudante: a partir do momento que ele faz uma prova no 1; ano do ensino médio e sabe que vai realizar outras no 2; e no 3; ano, ele vai se esforçar muito mais para ter melhores resultados;, acredita.

Além disso, Clayton chama atenção para o modo de implementação das provas. ;Pelo fato de a prova ser seriada e pelo formato (do 2; ano até o 4; do ensino fundamental sendo impressa e a partir do 5; ano sendo digital), nós acreditamos que é muito possível as escolas particulares participarem;, diz.

;Quanto mais oportunidades de testagem os alunos tiverem, mais dados vão gerar para as escolas tomarem decisões, não tenho dúvida de que isso só vai melhorar a educação do país ao longo do tempo. Uma vez que as escolas tenham mais relatórios para que possam agir na proficiência de cada aluno, é possível melhorar o ensino;, conclui.



*Estagiária sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação