Ensino_EducacaoBasica

Justiça propõe retorno presencial escalonado para escolas particulares

Em audiência com GDF, o Ministério Público do Trabalho sugeriu retomada a partir de 10 de agosto

Mariana Machado
postado em 03/08/2020 14:22
Em audiência com GDF, o Ministério Público do Trabalho sugeriu retomada a partir de 10 de agosto
Em mais um dia de discussões a respeito da volta às aulas presenciais das escolas particulares, o Governo do Distrito Federal (GDF) esteve, na manhã desta segunda-feira (3/8), em audiência com o Ministério Público do Trabalho (MPT). A juíza da 6; Vara da Justiça do Trabalho apresentou proposta de retorno escalonado, o que já será feito pela rede pública de ensino.
A proposta ainda será analisada pelo GDF, que tem até quarta-feira (5/8), para decidir se aprova ou não. Em caso positivo, as atividades retornam a partir de 10 de agosto, para os estudantes do Ensino Médio e profissionalizante.
Em seguida, em 17 de agosto, é a vez dos anos finais do Ensino Fundamental. Por fim, em 24 de agosto, retornam os anos iniciais do Ensino Fundamental, e Educação Infantil. Caso o GDF não concorde com a proposta, caberá à Justiça decidir se irá permitir ou não a retomada das aulas.
[SAIBAMAIS]
O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe) também participou da audiência. Em nota oficial, afirmou que aproveitou a oportunidade para destacar a necessidade de resguardar a autonomia das escolas, que, desde março, estudam medidas de profilaxia. ;A proposta (apresentada) não contemplava o interesse das escolas e reiteramos isso em audiência.;
Já o Sindicato dos Professores das Entidades de Ensino Particulares (Sinproep), se mostrou favorável. ;Essa proposta é razoável, uma vez que determina o retorno das aulas de forma gradual, o que possibilita uma melhor avaliação do nível de contaminação no DF para que a gente possa ter mais segurança na retomada das aulas presenciais;, afirmou o diretor jurídico da entidade, Rodrigo de Paula.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação