Publicidade

Correio Braziliense

''Weintraub deu mais razões para o pedido de impeachment'', diz Randolfe

Para o senador Randolfe Rodrigues, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, não esclareceu os erros ocorridos no Enem e foi ao Senado apenas para ''agredir parlamentares''


postado em 11/02/2020 15:10 / atualizado em 11/02/2020 15:25

(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Após a participação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, em sessão da Comissão de Educação do Senado, onde foi falar sobre os problemas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), alguns senadores se demonstraram insatisfeitos com a postura do gestor diante das perguntas feitas. 

Um dos presentes na sessão, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse que Weintraub não respondeu os questionamentos e foi ao Senado "agredir parlamentares". 

"O ministro só trouxe aqui uma coisa: mais razões para o pedido de impeachment que tramita no Supremo Tribunal Federal", afirmou Randolfe no fim da audiência, que terminou sob protestos de estudantes e entidades que os representam. 

Na última quarta-feira (5/2), um grupo formado por deputados e senadores apresentou ao STF um pedido de impeachment contra Weintraub. Os parlamentares pedem a destituição do chefe da pasta sob o argumento de que ele cometeu crime de responsabilidade ao violar uma série de princípios constitucionais que regem a administração pública. 

"Melhor Enem"

Randolfe disse não concordar com Weintraub quando este afirmou, mais uma vez, que o último Enem foi o melhor de todos. “Um Enem que mais de 170 mil estudantes reclamaram. Se o melhor Enem de todos os tempos for este, valha-me Deus. O que eu quero é que não tenha mais Enem desse tipo, com tanta incompetência reunida”, completou. 

No momento em que participava da audiência, Weintraub foi um dos assuntos mais debatidos no Twitter. Duas hashtags com o nome do ministro (#ForaWeintraub e #JuntosComWeintraub) estavam entre os 10 assuntos do momento na rede social.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade