Publicidade

Correio Braziliense

Prazo dado por Moro termina sem Lula se entregar à Polícia Federal

Advogados do petista e Polícia Federal negociam os próximos passos. Uma possibilidade é o petista se entregar à PF de São Paulo


postado em 06/04/2018 17:22 / atualizado em 06/04/2018 18:20

Lula acena da janela do Sindicato dos Metalúrgicos na noite de quinta-feira(foto: AFP)
Lula acena da janela do Sindicato dos Metalúrgicos na noite de quinta-feira (foto: AFP)
 

O prazo dado pelo juiz Sérgio Moro para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se entregasse à Polícia Federal se esgotou às 17h desta sexta-feira sem que o petista anunciasse como agirá.

 

As últimas informações são de que os advogados de Lula, a Polícia Federal e a Justiça negociam os próximos passos. Um pouco antes do fim do prazo, o delegado da Polícia Federal Igor Romário de Paula informou que a conversa com os advogados deveria prosseguir mesmo após as 17h.


A intenção da PF é evitar confrontos, já que o ex-presidente está no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC cercado por apoiadores. Igor de Paula acrescentou que é remota a chance de a Polícia Federal entrar no sindicato para prender o ex-presidente. O diretor da PF acompanha atentamente todo o andar da negociação e só entrará no sindicato se tiver total respaldo para isso.

Policiais federais em Curitiba dizem que é possível prender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva até as 18h pelas regras legais. Após esse horário, a Polícia Federal é impedida de entrar em domicílio de réus. A sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, consta como endereço de Lula em alguns inquéritos, mas o discurso entre os delegados, por enquanto, é que as equipes vão definir a "melhor forma" de cumprir a ordem de prisão.
 

Estratégia de Lula 

Desde a determinação da prisão feita por Moro, a intenção de Lula nunca foi se entregar conforme sugerido pelo magistrado. Como o Correio divulgou ontem, Lula espera transformar sua prisão em um grande ato político, reforçando o discurso de que é vítima.

 

Há, no entanto, ainda, a possibilidade de Lula se dirigir à Polícia Federal em São Paulo, um dos pontos que estão sendo discutidos na negocição entre defesa e Justiça.

 

A multidão em frente ao sindicato também espera que Lula faça um discurso em um dos carros de som em frente ao prédio. Por volta das 18h, o ex-presidente apareceu na janela e acenou, mas não deixou o edifício. Desdo o início da tarde, várias lideranças políticas da esquerda brasileira se revezam em falas de apoio ao presidente e críticas a Moro.

 

Especialistas ouvidos pelo Correio explicam que Lula não tem a obrigação de se apresentar à Polícia Federal. O prazo dado por Moro era uma concessão, que cabe ao ex-presidente aceitar ou não. O cumprimento da prisão é uma função da Polícia Federal. 

 

Com Agência Estado e Agência Brasil. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade