Publicidade

Correio Braziliense

Em artigo, Josué Gomes declara apoio a Geraldo Alckmin mesmo com recusa

Josué diz que aplaude os partidos que decidiram apoiar Geraldo Alckmin e afirma que o ex-governador de São Paulo é o melhor nome para as eleições 2018


postado em 25/07/2018 09:26

No artigo, Josué afirma que o novo presidente será responsável por reorganizar o Estado e reequilibrar o orçamento da União e dos Estados(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
No artigo, Josué afirma que o novo presidente será responsável por reorganizar o Estado e reequilibrar o orçamento da União e dos Estados (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
Apesar de ter recusado o convite para ser vice do presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), o empresário Josué Gomes, filho do ex-vice-presidente José Alencar, declarou apoio ao tucano em artigo publicado, nesta quarta-feira (25/7), no jornal Folha de S Paulo

No texto, intitulado "Nas eleições deste ano, não se pode errar", Josué diz que aplaude os partidos que decidiram apoiar Geraldo Alckmin e afirma que o ex-governador de São Paulo é o melhor nome para as eleições 2018. 

No artigo, Josué afirma que o novo presidente será responsável por reorganizar o Estado e reequilibrar o orçamento da União e dos Estados, além de realizar as reformas previdenciária, política e tributária. Também afirma ser necessário agir para que Executivo, Legislativo e Judiciário trabalhem em "harmonia", trazendo estabilidade política e crescimento econômico sustentável. E, em sua avaliação, o melhor nome para este cenário seria o do ex-governador de São Paulo. 

"Pelo que já demonstrou em termos de liderança, sobriedade, capacidade de dialogar e de gerenciar bem em plena crise, Geraldo Alckmin reúne todos os requisitos para cumprir a complexa missão que se coloca", escreve Josué, citando que a responsabilidade fiscal é a marca de seu modelo administrativo e poderia garantir fôlego para investimentos públicos em meio à crise. 

O empresário diz ainda que o perfil do tucano "não deixa dúvidas" e que a decisão dos partidos do Centrão, bloco formado por DEM, PP, SD, PRB e PR, de apoiá-lo, foi acertada. "Definitivamente, não é hora de apostar em aventuras e salvadores da pátria". Na conclusão do texto, o empresário afirma que o País precisa de propostas e ações concretas para retomar o rumo do desenvolvimento. "Por isso não podemos errar em outubro". 

Nada definido


A executiva nacional do PR divulgou nota, na terça-feira (24/7), negando que o empresário tenha recusado ser o vice na chapa de Geraldo Alckmin. O jornal O Estado de S. Paulo apurou que o movimento faz parte da estratégia de tentar reverter a decisão Representantes do PR e de outros partidos foram escalados para tentar convencer o filho de José Alencar a repensar sua decisão

Alckmin e o herdeiro da Coteminas se encontraram duas vezes na segunda-feira (23/7), na capital paulista. O filho do ex-vice-presidente José Alencar informou ao presidenciável que não aceitaria a indicação de seu nome para a vice, feita pelos partidos do Centrão. A informação foi divulgada pelo G1 e confirmada pelo Estadão/Broadcast.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade