Publicidade

Correio Braziliense

Ciro: 'Não quero fazer campanha para o PT nunca mais'

O pedetista reforçou que fará oposição a qualquer governo que venha a ser eleito


postado em 28/10/2018 16:10 / atualizado em 28/10/2018 16:10

(foto: Carl de Souza/AFP)
(foto: Carl de Souza/AFP)

O candidato derrotado à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, chegou às 12h11 deste domingo (28/10) acompanhado da sua esposa, Giselle Bezerra, ao local de votação, na Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, na Praia de Iracema, em Fortaleza. Sobre a ausência de um apoio efetivo à candidatura de Fernando Haddad (PT), Ciro afirmou que não se manteve neutro, mas que não devia apoio.

"Eu não quero fazer campanha para o PT nunca mais", disse. Segundo o pedetista, o posicionamento já havia sido tomado desde o começo. Questionado sobre sua ausência no segundo turno, Ciro rebateu: "A quem que eu estou devendo essa presença? Estou devendo ao PT?". Ciro afirmou que não quer influir na votação, justificando que os dois projetos apresentados neste segundo turno se antagonizam e "não desarmam essa bomba de ódio, de confrontação miúda".

O pedetista reforçou que fará oposição a qualquer um que venha a ser eleito. "A minha posição é a mesma de antes. Se eu quisesse aderir a uma ou outra força, eu o teria feito antes. Acredito que o Brasil precisa desesperadamente desarmar essa bomba. Espero muito que esteja errado e que aquele amanhã vitorioso possa desarmar essa bomba por si e possa restaurar a paz política no Brasil, para que a gente possa resolver a equação social e política. Entretanto, eu não acredito." Segundo ele, a bomba seria a intensa polarização.

Antes de deixar o local de votação, já dentro do carro, Ciro destacou a necessidade de acabar com a violência política, citando o assassinato de um jovem petista no sábado (27/10) por eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) em Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza.

No carro, além de Giselle Bezerra, acompanharam o prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio (PDT), e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, Zezinho Albuquerque (PDT).

Ciro manteve-se distante dos holofotes durante todo o segundo turno e evitou dar declarações em sua chegada a Fortaleza, na última sexta-feira (26/10). No sábado, optou por gravar um vídeo em que evitou demonstrar apoio explícito à candidatura petista, como era esperado.

Ciro foi o terceiro colocado no primeiro turno, obtendo mais de 13 milhões de votos (12,47%). No Ceará, foi o candidato mais votado, com 40,95% dos votos.

Publicação

Ciro Gomes (PDT) publicou uma foto em seu Twitter, onde aparece em uma zona eleitoral ao lado de sua mulher, Giselle Bezerra. O pedetista vota em Fortaleza, no Ceará. Na legenda, escreveu a hashtag "#DEMOCRACIASIM".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade