Publicidade

Correio Braziliense

Trump liga para Bolsonaro e diz ter tido uma 'ótima conversa' com eleito

Donald Trump afirmou que Estados Unidos e Brasil trabalharão juntos em comércio, forças armadas e 'tudo mais'


postado em 29/10/2018 10:29 / atualizado em 29/10/2018 10:35

(foto: AFP)
(foto: AFP)
 
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ligou para o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), na manhã desta segunda-feira (29/10) para parabenizá-lo pela vitória. Nas redes sociais, o americano disse que teve uma “ótima conversa” com o capitão reformado. 
 
Além disso, Trump afirmou que os Estados Unidos e o Brasil trabalharão juntos em comércio, forças armadas e “tudo mais”. “Excelente ligação, desejei-lhe parabéns”, comentou o americano no Twitter.
 
 
 
Nacionalistas conservadores 
Em uma entrevista publicada pelo jornal Folha de S.Paulo nesta manhã, o ex-assessor de Trump, Steve Bannon, disse que os dois países serão ainda mais próximos durante o governo. Bannon deu boas-vindas ao brasileiro ao clube de nacionalistas conservadores que chegaram ao poder nos últimos anos. O ex-estrategista de comunicação de Trump também ressaltou as semelhanças entre o presidente americano e o brasileiro.
 
"Vejo três principais pontos em comum entre esses líderes: em situações muito confusas, conseguem identificar quais são os principais problemas e articular as soluções. Por serem autênticos, eles conseguem se conectar com o público de massa, particularmente com a classe trabalhadora e classe média, de modo muito visceral. E, em terceiro lugar, eles têm carisma", disse. 
 
Ele também destacou que os dois empregam a estratégia de "usar declarações provocativas para conseguir ser ouvido em meio ao barulho". "Ambos são especialistas em se conectar com as massas", ressaltou. Entre as semelhanças, as redes sociais foram o principal meio de comunicação de Bolsonaro durante a campanha, assim como foram de Trump há dois anos, quando foi eleito.  "Se não fosse pelo Facebook, Twitter e outras mídias sociais, teria sido cem vezes mais difícil para esse populismo ascender, porque não conseguiríamos ultrapassar a barreira do aparato da mídia. Trump conseguiu fazer isso, Salvini e Bolsonaro também", explicou Bannon.
 
Com informações da Agência Estado 
 
   
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade