Publicidade

Correio Braziliense

''Vamos buscar a extinção da Ancine'', afirma o presidente Bolsonaro

Anúncio vem depois de Bolsonaro sugerir o cancelamento da captação de recursos públicos para um filme sobre a própria campanha


postado em 25/07/2019 23:30 / atualizado em 25/07/2019 23:44

(foto: EVARISTO SA / AFP)
(foto: EVARISTO SA / AFP)
Depois da polêmica envolvendo a Agência Nacional do Cinema (Ancine), Bolsonaro disse, nesta quinta-feira (25/7), que procurará meios para acabar com a agência. “Vamos buscar a extinção da Ancine”, afirmou. 

A fala ocorreu durante live no Facebook, e surge depois do anúncio de que a sede da agência será transferida do Rio de Janeiro para Brasília. De acordo com Bolsonaro para “ficar de olho no pessoal”.

De acordo com ele, dinheiro público não deve ser usado para fazer obras audiovisuais. "Quem, no Brasil, quiser fazer filmes, como Bruna Surfistinha, fique a vontade. O que não podemos admitir é fazer com o dinheiro público. Isso é inconcebível", explicou. 

O presidente disse, ainda, ter tomado a decisão depois do pedido de R$ 535 mil para produção de um longa sobre sua própria trajetória à Presidência — Nem tudo se desfaz: como 20 centavos iniciaram uma revolução conservadora. Mais cedo, ele havia tuitado sobre o tema. No post, afirmou que pediu o cancelamento da captação de recursos para o filme.

Na live no Facebook, Bolsonaro voltou a criticar patrocínio a filmes como Bruna Surfistinha, estrelado por Deborah Secco, como fez na semana passada. "O poder público não tem que se meter a fazer isso. O Estado vai deixar de patrocinar. Não posso nem falar nome de filmes patrocinados pela Ancine porque tem crianças na sala", disse. 

  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade