Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro equipara importância de PGR com Presidência

O presidente voltou a falar sobre a dificuldade em escolher um nome para a Procuradoria-Geral da República (PGR)


postado em 15/08/2019 12:40 / atualizado em 15/08/2019 12:41

(foto: Alan Santos/PR)
(foto: Alan Santos/PR)
A pouco mais de um mês para anunciar o futuro chefe da Procuradoria-Geral da República (PGR), o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre a dificuldade de escolher um nome para comandar o órgão a partir de setembro. 

 

Em fala com os jornalistas na manhã desta quinta-feira (15/8), o presidente disse que "são todos bons nomes". Segundo Bolsonaro, a tarefa é difícil por demandar muito de uma pessoa só. 

 

"Não pode ser uma pessoa com uma só virtude. Tem que, como um todo, colocar o Brasil para frente. Você bota um cara, por exemplo, especialista em combate à corrupção. Daí a questão ambiental, como que fica? Vai botar alguns, como no passado, atrapalhando essa área que é importantíssima para o desenvolvimento do Brasil? E as minorias? E a questão indígena?", pontuou. 

 

Ao citar os assuntos tratados pelo órgão, Bolsonaro disse que "de vez em quando, o PRG é mais importante que o presidente". O escolhido pelo presidente substituirá Raquel Dodge, que sai em 17 de setembro. 

 

Sobre a possibilidade de indicar o procurador da República e coordenador da Lava-Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, o presidente disse que não foi procurado por Deltan. "Quem quer ser candidato, quem quer entrar na lista tem que me procurar", disse. Questionado se o nome de Deltan já foi indicado, Bolsonaro respondeu que "o nome dele lá atrás já foi cogitado por alguém". 

 

Perfil 

 

Em outras ocasiões, o presidente Jair Bolsonaro já havia falado que o novo PGR deverá ser alinhado com o governo. Além de ser alguém que trabalhe pela "família", e que não tenha "ojeriza ambiental",  Bolsonaro disse que o chefe do órgão deve entender que as leis "têm de ser feitas para a maioria e não para as minorias". 

 

Na terça-feira (13/8), ele recebeu pela primeira vez o subprocurador-geral da República, e o primeiro nome da lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Mário Bonsaglia. A expectativa, no entanto, é que ele escolha alguém fora da lista, e o mais cotado para vencer a disputa, até agora, é o subprocurador-geral Augusto Aras

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade