Publicidade

Correio Braziliense

Mourão continua como presidente interino até o próximo dia 16

Prazo anterior terminaria nesta quinta-feira (12/9) e Bolsonaro assumiria os despachos a partir desta sexta-feira (13/9)


postado em 12/09/2019 18:51

(foto: Sérgio Lima)
(foto: Sérgio Lima)
De acordo com nota divulgada na tarde desta quinta-feira (12/9) pelo Palácio do Planalto, o presidente interino Hamilton Mourão continuará no cargo até o próximo dia 16. O prazo terminaria hoje (12/9) e na sexta-feira (13/9), o presidente Jair Bolsonaro retomaria os despachos, ainda que do hospital.

“Será alterado o período do vice-presidente, Hamilton Mourão, como presidente em exercício. O prazo, que se encerraria hoje, será prolongado por mais quatro dias, a contar de 13 de setembro de 2019”, diz um trecho da nota palaciana.

Na terça-feira (10/9), mesmo quando Bolsonaro apresentou uma “lentificação dos movimentos intestinais e distensão abdominal”, que levaram a suspensão da alimentação oral e a “passagem de sonda nasogástrica”, Mourão, afirmou que não havia previsão de extensão de prazo no cargo.

Desde a segunda-feira (9/9), os médicos haviam introduzido uma dieta líquida para o chefe do executivo. No entanto, diante da evolução do quadro, Bolsonaro só voltará a ingerir alimentos oralmente após novas avaliações médicas. Ele passou por uma cirurgia de hérnia incisional no último domingo (8/9).

Na manhã desta quinta-feira (12/9), o último boletim médico divulgado apontou que a situação clínica de Bolsonaro é favorável. “Ele está sem dor, afebril e com recuperação progressiva dos movimentos intestinais. Os exames laboratoriais seguem estáveis e ele permanece em jejum oral, com alimentação parenteral (endovenosa). A fisioterapia respiratória e motora segue sendo feita. Diuturnamente ele tem feito caminhadas com acompanhamento da equipe fisioterápica. As visitas, no entanto, seguem restritas”.

Retirada a sonda nasogástrica, Bolsonaro retornará à dieta líquida. Cerca de um ou dois dias depois da dieta, ele seguirá para uma dieta cremosa. 

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, já havia informado ainda nesta manhã que, caso houvesse necessidade de postergar a retomada ao cargo da Presidência, seria feito um novo documento. “Com número ‘x’ de dias, definido, inicialmente, pela equipe médica da Presidência, e corroborada pela equipe médica do Vila Nova”, comunicou.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade