Publicidade

Correio Braziliense

Situação 'fora de contexto', afirma defesa de Bivar e do PSL sobre ações da PF

O parlamentar está entre os alvos da Operação Guinhol, deflagrada mais cedo pela PF, para apurar supostas fraudes na aplicação de recursos destinados a candidaturas femininas


postado em 15/10/2019 10:33 / atualizado em 15/10/2019 10:34

(foto: Bernardo Dantas/ DP/D.A Press)
(foto: Bernardo Dantas/ DP/D.A Press)
A defesa do presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), e do partido em Pernambuco se manifestou sobre o mandado de busca e apreensão deflagrado, nesta terça-feira (15/10), em um dos endereços de Bivar e afirma que "vê a situação fora de contexto". O parlamentar está entre os alvos da Operação Guinhol, deflagrada mais cedo pela Polícia Federal (PF), para apurar supostas fraudes na aplicação de recursos destinados a candidaturas femininas em Pernambuco.

Na nota, divulgada pela assessoria de Bivar, o Escritório de Ademar Rigueira, que responde pela defesa do deputado e do PSL em Pernambuco, "enfatiza que o inquérito já se estende há 10 meses, já foram ouvidas diversas testemunhas e não há indícios de fraude no processo eleitoral". Para a defesa, a "busca é uma inversão da lógica da investigação, vista com muita estranheza pelo Escritório, principalmente por se estar vivenciando um momento de turbulência política".

Os mandados de busca foram expedidos pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE). Segundo a PF, há indícios de que os recursos destinados às candidaturas de mulheres foram usados "de forma fictícia" e "desviados para livre aplicação do partido e de seus gestores".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade