Publicidade

Correio Braziliense

Em meio a crise, Eduardo Bolsonaro é anunciado líder do PSL na Câmara

Em guerra de assinaturas, deputados do PSL anunciaram que Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) substitui o Delegado Waldir (PSL-GO) no cargo


postado em 17/10/2019 08:00 / atualizado em 17/10/2019 09:15

Eduardo Bolsonaro é anunciado como novo líder do PSL na Câmara (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Eduardo Bolsonaro é anunciado como novo líder do PSL na Câmara (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi anunciado, na noite de ontem, como novo líder do PSL na Câmara dos Deputados, em substituição ao Delegado Waldir (PSL-GO), que vinha protagonizando um embate com o presidente Jair Bolsonaro em apoio ao presidente da legenda, Luciano Bivar (PSL-PE). A mudança foi oficializada depois que deputados do partido protocolaram um requerimento para que a função passasse a ser exercida pelo número três. O documento foi assinado por 27 dos 53 deputados da sigla.

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), explicou que os parlamentares apontaram como principal motivo da mudança a atuação de Delegado Waldir contra os interesses do governo.

“Os deputados decidiram, em função de todo o tensionamento que tem acontecido em função dos posicionamentos do líder anterior do PSL, que contrariava as orientações do governo, que colocava em dúvida, inclusive, a transparência do partido, que atacava membros do partido de uma maneira desmedida e que, por exemplo, quase colocou em xeque a votação da Medida Provisória 886”, disse.

A MP que reorganiza a estrutura do Poder Executivo, aprovada no plenário da Câmara na quarta-feira, e segundo o Major Vitor Hugo, o Delegado Waldir chegou a orientar obstruções contra a votação da matéria. “Obstrução do próprio partido do presidente, que não é base do governo, é o próprio governo”, criticou.

Guerra nas redes socias


Antes, porém, de acordo com post publicado pela deputada Natália Portinari(SP), os apoiadores do  presidente da sigla, Luciano Bivar, protocoloaram outra carta, com 32 assinaturas, a favor da permanência de Waldir. Em outro post, a deputada Bia Kicis (DF) afirmava que uma teceira carta, em apoio a Eduardo, foi a que valeu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade