Publicidade

Correio Braziliense

Deputados convocarão Guedes para explicar comparação de servidor a parasita

Frente Parlamentar Mista do Serviço Público planeja apresentar o pedido de convocação na segunda-feira (10/2)


postado em 07/02/2020 20:42 / atualizado em 07/02/2020 20:43

(foto: World Economic Forum/Walter Duer)
(foto: World Economic Forum/Walter Duer)
Parlamentares querem convocar o ministro da Economia, Paulo Guedes, para que ele explique a declaração, feita nesta sexta-feira (7/2), na qual comparou os servidores públicos a “parasitas”. A Frente Parlamentar Mista do Serviço Público planeja apresentar o pedido de convocação na segunda-feira (10/2).

"Vamos entrar com um pedido de convocação para que o ministro se explique, porque não vamos aceitar declarações que generalizem uma opinião sobre os servidores, ainda mais uma opinião extremamente preconceituosa. Foi uma declaração muito ofensiva, que não contribui com o diálogo", afirmou o presidente da frente, deputado Professor Israel (PV-DF).


A aprovação não é vista como algo difícil de acontecer pelos integrantes da frente, já que diversos parlamentares, inclusive membros do Centrão que apoiam a reforma administrativa, criticaram a declaração de Guedes.

Segundo Israel, o Congresso está disposto a discutir a reforma administrativa. Mas quer fazer essa discussão de forma técnica e não por meio de "insultos e ataques".


"O governo, como sempre, inicia um debate a partir de uma lógica de confronto. Mas nós queremos que a reforma administrativa ouça os servidores, queremos que eles participem das discussões. [...] Cada vez fica mais claro que a intenção do governo não é fazer uma reforma que torne o Estado mais eficiente. A intenção do governo é ser revanchista contra os servidores. É uma postura absolutamente ideológica que vamos combater de forma feroz e obstinada", avaliou o deputado.

Reação à fala de Guedes

O fato de Guedes ter emitido nota elogiando o funcionalismo e dizendo que a frase foi retirada de contexto não ajudou muito. Parlamentares se pronunciaram e criticaram o ministro. A deputada Sâmia Bomfim (Psol/SP) afirmou que quem é parasita são os banqueiros e "rentistas como Paulo Guedes". “Quem parasita o Estado brasileiro são os banqueiros e os rentistas como Paulo Guedes. Os servidores públicos trabalham pela população nas escolas, universidades, postos de saúde, centros de assistência social e em muitos outros locais”, disse ela, que é servidora pública estadual na Universidade de São Paulo (USP).  

 

 

 

Marcelo Freixo (Psol/RJ) também lembrou que Guedes é banqueiro. “Paulo Guedes é um banqueiro que responde por fraudes em fundos de pensão. Servidores públicos são professoras, enfermeiros, policiais, garis, pais e mães que trabalham duro todos os dias para sustentar suas famílias e atender a população. Quem é o verdadeiro parasita?”, questionou. 

 

 

 

O presidente do PDT, Carlos Lupi, também usou o adjetivo para definir o próprio Paulo Guedes. “Parasita é Paulo Guedes, que ocupa um cargo de extrema importância no governo para fazer um projeto anti-povo e caçar direitos dos trabalhadores. Sou do legado Trabalhista de Brizola e não aceito esse tipo de mentalidade. Respeitem o servidor público!”, afirmou. 

 

 

A professora e deputada federal Maria do Rosário (PT/RS) destacou que o ministro estava chamando de parasitas aqueles que servem a população. “Disse isto do professor que dá aula pros nossos filhos, do trabalhador em saúde que nos atende nos hospitais e dos policias que atuam diariamente nas ruas são honrados e dignos de muito mais reconhecimento do que possuem hoje”, pontuou. 

 

 

Margarida Salomão, deputada federal pelo PT de Minas Gerais, afirmou que as filas no INSS são pela falta de concursos e não por culpa dos servidores. “As atuais filas do INSS, por exemplo, são culpa de quem? De Guedes, que proibiu concursos, ou do funcionalismo? Não sei se há parasitas no funcionalismo público. O que sei é que há bichos escrotos governando o país”, criticou. 

 

 

O também deputado federal José Guimarães (PT/CE) pediu mais respeito com as pessoas que estão trabalhando no serviço público. “O Servidor Público é aquele que faz a máquina do estado funcionar, sem ele não teríamos saúde e educação para a massa da população. Parasita é a definição perfeita para quem está entregando o Brasil aos EUA.”

 

 

O líder do PSL no Senado, Major Olimpio (SP), também criticou a fala de Guedes. Ele que é policial militar disse que a expressão é “ingrata e irresponsável”. “Paulo Guedes quer matar a vaca pra acabar com o carrapato! Parasita é uma expressão ingrata e irresponsável para se referir àqueles que na ponta da linha prestam serviços para a população! Jamais o Congresso vai aprovar preconceitos”, afirmou. 

 

 

O deputado federal Rogério Correia (PT/MG) chamou de "parasita” o presidente da República, Jair Bolsonaro. “Parasita? Guedes devia estar pensando no chefe Bolsonaro. Aquele que ficou quase 30 anos no Congresso só na preguiça. E depois levou a mamata para os três filhos.” 

 

Aliado do governo  

Até mesmo o aliado do governo deputado federal Marcos Pereira (PRB/ES) não aprovou a fala de Guedes. Para o ex-ministro tem gente boa e mau em todo lugar, não se pode generalizar. "Nós, do Republicanos, somo favoráveis à reforma administrativa, mas o ministro Paulo Guedes não pode chamar todos os servidores públicos de “parasitas”. Não é por aí. Há bons e maus em todo lugar, até mesmo na equipe de Guedes. Ou ele acha que está tudo indo muito bem, obrigado?", afirmou. 

 

 

 

Mas também tiveram aqueles que saíram em defesa do ministro. O vereador pelo Rio de janeiro Leandro Lyra (Novo) afirmou que o ministro estava certa e que a fala foi deturpada. “O Ministro Paulo Guedes deu uma aula sobre as reformas e o futuro do país. Também afirmou que a imprensa não entendeu o momento pelo qual passa o Brasil. Ele está absolutamente certo”, disse. 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade