Publicidade

Correio Braziliense

"Não importa o número da camiseta", diz Onyx sobre saída da Casa Civil

Onyx deixa o cargo na Casa Civil semanas após o então número dois do órgão ser exonerado por ter utilizado um avião da FAB para viagens


postado em 13/02/2020 18:34 / atualizado em 14/02/2020 16:40

(foto: Reprodução/Instagram)
(foto: Reprodução/Instagram)
Após o presidente Jair Bolsonaro confirmar, nesta quinta-feira (13/2), pelo Twitter, a troca de ministros na Casa Civil e na pasta da Cidadania, Onyx Lorenzoni disse, em um vídeo transmitido nas redes sociais, que "não importa o número da camiseta" e que “continuará cumprindo a sua missão”.

Lorenzoni fazia uma referência à troca de sua posição no governo. Ao sair da Casa Civil, que passa para o comando do general Walter Souza Braga Netto, ele assumirá o Ministério da Cidadania, até então sob responsabilidade de Osmar Terra. Terra, por sua vez, deve voltar ao mandato de deputado federal. 

"O presidente me deu uma missão que nós concluímos agora por decisão dele. O time Bolsonaro é humilde, é unido e é forte. Aqui não importa o número da camiseta. O presidente me entrega hoje uma nova missão que eu vou cumprir com o mesmo zelo, com a mesma dedicação e com o mesmo empenho para melhorar e transformar a vidas dos brasileiras e das brasileiras", disse (assista abaixo).
 
Voir cette publication sur Instagram

Uma nova missão %uD83C%uDDE7%uD83C%uDDF7

Une publication partagée par Onyx Lorenzoni (@onyxlorenzoni) le



Perda de funções

Onyx deixa o cargo na Casa Civil semanas após o então número dois do órgão, Vicente Santini, ser exonerado por ter utilizado um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para viagens à Suíça e à Índia. Na época, Onyx estava de férias nos Estados Unidos. 

Em meio à crise, Bolsonaro anunciou a transferência do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) da Casa Civil para o Ministério da Economia. Anteriormente, Onyx já havia perdido a função de articulador político para Luiz Eduardo Ramos e a Secretaria de Assuntos Jurídicos (SAJ), que foi transferida para a Secretaria-Geral.

Nesta quarta-feira (12/2), Onyx se encontrou com Bolsonaro mais de uma vez. Pela manhã, ele acompanhou o presidente em uma reunião com a Frente Parlamentar da Agricultura e, na sequência, conversou a sós com o presidente por aproximadamente 30 minutos. À tarde, após deixar uma agenda pessoal, Onyx chegou a negar que seria remanejado para a Cidadania: "Ninguém afirmou isso". 

O ministro ainda participou de outro evento no Palácio do Planalto e ficou sentado ao lado de Bolsonaro. No fim da solenidade, o chefe da Casa Civil saiu sem falar com jornalistas e, de longe, acenou para a imprensa, sorrindo.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade