Publicidade

Correio Braziliense

No Dia da Mentira, Bolsonaro compartilha e apaga vídeo com fake news

Presidente voltou a subir o tom contra governadores horas após adotar um discurso mais ameno em relação à pandemia do coronavírus


postado em 01/04/2020 10:46 / atualizado em 01/04/2020 12:43

(foto: Isca Nóbrega/PR)
(foto: Isca Nóbrega/PR)
Após o discurso em rede nacional em que adotou um tom mais ameno na noite de terça-feira (31/3), o presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar as medidas de isolamento e restrição contra o coronavírus adotadas pelos governadores. Na tentativa de reforçar sua posição, o presidente compartilhou nas redes sociais um vídeo com falsas informações. O curioso é que o vídeo foi publicado em 1º de abril, Dia da Mentira no Brasil. Logo depois, porém, ele apagou o vídeo das redes.

 

As imagens mostram um homem na Ceasa, a Central de Abastecimento de Minas Gerais, em Contagem, afirmando que há desabastecimento no local.  "Para você que falou, depois do discurso do presidente, que economia não tinha importância, que importante eram vidas, dá uma olhada nisso aí. Pois é, fome, desespero, caos também matam. A culpa disso aqui é dos governadores porque o presidente da República está brigando incessantemente para que haja uma paralisação responsável. Não paralisar todos os setores, quem não é do grupo de risco voltar a trabalhar, ok?". De acordo com o indivíduo,, governadores estão "querendo ganhar nome e projeção política às custa do sofrimento da população".

 

Na legenda, Bolsonaro escreveu que ‘depois da destruição não interessa apontar culpados’: "Não é um desentendimento entre o Presidente e ALGUNS governadores e ALGUNS prefeitos. São fatos e realidades que devem ser mostradas. Depois da destruição não interessa mostrar culpados."

 

A assessoria de comunicação da Ceasa garantiu que não há falta de produtos e segue abastecimento. Medidas também foram adotadas para evitar o coronavírus com medidas de higienização. Entre as medidas adotadas, desde o dia 23, menores de 14 anos e maiores de 60 também não podem entrar no local.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade