Politica

Delegado Tacio Muzzi vai chefiar PF no Rio, área de interesse de Bolsonaro

Havia pressão interna para que o novo superintendente fosse distante da família Bolsonaro

Renato Souza
postado em 06/05/2020 10:10

Delegado de Polícia Federal Tacio Muzzi ao centroEm meio a polêmicas, o diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Souza, escolheu o delegado Tácio Muzzi para substituir Carlos Henrique Oliveira na superintendência da corporação no Rio de Janeiro. Muzzi não estava entre os nomes listados pelo presidente Jair Bolsonaro. Rolando também realizou alterações em diretorias nacionais (veja abaixo).

Havia pressão interna para que o novo superintendente fosse distante da família Bolsonaro. O ex-ministro Sergio Moro afirma que, desde janeiro, o presidente fazia pressão para trocar o comando da PF no Rio de Janeiro, estado onde vive a família dele.

No ano passado, durante cinco meses, Muzzi foi superintendente em solo carioca em meio a polêmicas sobre mudanças na estrutura administra da Polícia Federal. NA PF desde 20003, ele atuou durante a Lava-Jato e foi chefe da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros, da Superintendência da PF no Rio.

Além disso, Muzzi atuou no Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (diretor adjunto) e foi diretor do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

[SAIBAMAIS]Carlos Henrique, que deixa o cargo, será diretor-executivo da PF, considerado o número 2 da corporação. No entanto, cuidará do controle de portos, aeroportos, tráfico de drogas e questões administrativas, saindo da investigação.

Veja quem assume em cada setor:

  • Diretoria Executiva (DIREX) - Carlos Henrique Oliveira (que deixa a PF no Rio)

  • Diretoria de Inteligência Policial (DIP) - Alexandre Isbarrola
  • Corregedoria-Geral de Polícia Federal (COGER) - João Vianey Xavier Filho (sai de Alagoas)

  • Diretoria de Administração e Logística Policial (DLOG) - André Viana Andrade

  • Diretoria de Gestão de Pessoal (DGP) - Cecília Franco (estava lotado no Tocantins)

Mantidos no cargo:

  • Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (DICOR) - Igor Romário de Paula

  • Diretoria de Tecnologia da Informação e Inovação (DTI) - Willian Marcel Murad (mantido no cargo).

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação