Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro pede que PM faça seu devido trabalho em protestos contra governo

Presidente pediu ação das forças de segurança estaduais e federais (Força Nacional) ''caso sejam ultrapassados os limites da lei'' ao chamar os manifestantes de ''maconheiros'' e ''marginais''


postado em 05/06/2020 12:25 / atualizado em 05/06/2020 13:26

(foto: Sérgio Lima/AFP)
(foto: Sérgio Lima/AFP)
O presidente Jair Bolsonaro participou, na manhã desta sexta-feira (5/6), da inauguração do hospital de campanha de Águas Lindas de Goiás. Durante o discurso, ele sugeriu que governadores façam uso da Força Nacional. Ele pediu ainda que as outras corporações de segurança, dentre elas a Polícia Militar dos estados, ''façam o seu devido trabalho caso sejam ultrapassados os limites da lei.''

 

 

%u201CO outro lado, que luta por democracia, que quer o governo funcionando, quer um Brasil melhor e preza por sua liberdade, que não compareçam às ruas nestes dias para que as forças de segurança, não só estaduais, bem como a nossa, federal, façam seu devido trabalho porventura estes marginais extrapolem os limites da lei"

Jair Bolsonaro

 

Em Goiás não estão previstos atos. Mas, ainda assim, Bolsonaro disse ao governador Ronaldo Caiado (DEM) ter certeza de que ele tratará os manifestantes com "a dureza da lei."

%u201CEstamos assistindo agora grupos de marginais, terroristas querendo se movimentar para quebrar o Brasil. Esses marginais tiveram uma ação em SP. Esses terroristas voltaram logo depois para Curitiba e estão nos ameaçando. Agora, tenho certeza Caiado, que se vier aqui você vai tratar com a dureza da lei que eles merecem%u201D

Jair Bolsonaro

 

O chefe do Executivo também voltou a caracterizar manifestantes que fazem atos contra o governo como "marginais, terroristas, maconheiros e desocupados."

 

Manifestações no DF

Bolsonaro pedirá ao Distrito Federal a permissão para usar a Força Nacional nos protestos previsto para ocorrer na Esplanada dos Ministérios neste domingo (7/6).

Nessa quinta-feira (4/6), o chefe do Executivo foi ao gabinete do secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres, para externar a preocupação com o movimento, e a pasta do governador Ibaneis Rocha (MDB) vai bater o martelo após reuniões nesta sexta.

 

O GDF já avalia um esquema de segurança para as manifestações deste fim de semana. Dois encontros, hoje, definirão a estratégia. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade