Publicidade

Correio Braziliense

''Sempre fomos amigos e morreremos amigos'', diz Bolsonaro a Caiado

Após romper com o presidente, o governador fez um longo discurso de agradecimento a Bolsonaro em inauguração de hospital de campanha e recebeu como resposta a promessa de eterna amizade


postado em 05/06/2020 13:56

Bolsonaro inaugurou hospital de campanha em Águas Lindas para ajudar no atendimento a pacientes da covid-19(foto: Ed Alves/CB/DA press)
Bolsonaro inaugurou hospital de campanha em Águas Lindas para ajudar no atendimento a pacientes da covid-19 (foto: Ed Alves/CB/DA press)
O rompimento do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), com o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) não durou muito tempo. Em inauguração do primeiro hospital de campanha anunciado pela União, em Águas Lindas (GO), o governador fez um longo discurso de agradecimento ao presidente, exaltando ações do governo federal no estado. Bolsonaro afirmou que não iria discursar, mas mudou de ideia após ficar "tocado" pelas palavras "amáveis e verdadeiras" do governador e afirmou: "Sempre fomos amigos e morreremos amigos".

O presidente pontuou que a relação entre os dois começou "lá atrás". "Quando você sequer sabia que eu existia, eu te vi num carro de som na região de Cinelândia, Rio de Janeiro, disputando a presidência da República. Confesso que você me emocionou naquele momento e eu me identifiquei muito contigo", disse.

Antes, Caiado faz um discurso voltado a agradecer ações do governo federal. Ele levou uma apresentação com dados de algumas dessas ações. "Quero fazer um agradecimento especial ao presidente, que completa oito visitas oficiais a Goiás", disse. Na terça-feira (2/6), o governador se reuniu com o presidente, ocasião em que fez o convite para comparecer a inauguração do hospital. O evento e a abertura da unidade foram atrasados devido à agenda presidencial. 

Em março, o governador fez um discurso dizendo que "as declarações do presidente não atravessam as fronteiras de Goiás" em resposta a um pronunciamento feito pelo presidente em rede nacional um dia antes. Na ocasião, Bolsonaro chamou a covid-19 de "gripezinha", criticou governadores que tomaram medidas restritivas e culpou a mídia pelo que chamou de "histeria". 

Em abril, o presidente e o governador fizeram uma visita ao local na semana que as obras iniciaram. No evento, Caiado evitou falar sobre sua relação com o presidente, frisando que o importante era a situação da pandemia.

O governador estava mais distante do presidente e próximo do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, que já vivia intensa crise com o presidente por desacordos em relação a medidas de isolamento e uso de cloroquina em pacientes com covid-19. No dia, Mandetta foi embora com Caiado e passou o fim de semana em Goiânia. Ele deu uma entrevista ao Fantástico de dentro do Palácio das Esmeraldas, residência oficial do governador e foi demitido naquela semana.

Depois do evento de inauguração do hospital, Caiado publicou nas redes sociais o trecho do vídeo no qual Bolsonaro fala que serão eternos amigos e escreveu: "faço minhas as suas palavras"

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade