Politica

Com covid-19 positivo, Bolsonaro volta a defender retomada da economia

Presidente também criticar o isolamento social horizontal, adotado por alguns estados, e disse que a economia não pode parar

Hellen Leite
postado em 07/07/2020 14:04
 (foto: Sérgio Lima/AFP)
(foto: Sérgio Lima/AFP)
Presidente testou positivo para covid-19Ao anunciar diagnóstico positivo para a covid-19 nesta terça-feira (7/7), Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender a retomada das atividades econômicas. O presidente disse que os estados e municípios têm situações diferentes e que devem avaliar o fim do isolamento social.

"Temos que nos preocupar com vírus sim, mas também com o desemprego. Quando a gente fala do aumento do suicídio, com certeza isso tem a ver [com o aumento do desemprego]. Essas questões todas têm que levar em conta, não pode apenas falar nas consequências do vírus, mas a vida continua", comentou.

[SAIBAMAIS]Bolsonaro também criticou os estados que optaram pelo isolamento social horizontal e se eximiu da responsabilidade pela política de enfrentamento ao vírus. ;Essa política passou a ser privativa dos governadores e prefeitos. O presidente nada pode interferir. Se ela vai bem ou mal a responsabilidade é dos prefeitos e governadores", segundo decisão do STF;, disse em entrevista no Palácio do Planalto.

Para ele, a medida de isolamento social defendia pelos governadores foi exagerada, ;gerou uma onda de pânico na sociedade;e que "a economia não pode parar". "O mundo todo foi unânime em dizer que o objetivo das medidas de isolamento, a intenção, não era evitar a contaminação. Mas que elas pudessem ser num período mais largo para não sobrecarregar o sistema de saúde", afirmou.

Teste positivo para covid-19


O presidente começou a se sentir mal no domingo (5/7), foi levado ao Hospital das Forças Armadas (HFA) para exames na segunda (6/7) e teve diagnóstico positivo para a doença nesta terça-feira (7/7).

"Recebi [o resultado] com naturalidade, não tem que ter pavor, é a vida, a realidade", comentou o presidente em uma live durante o anúncio do exame. Bolsonaro deve despachar por videoconferência nos próximos dias.

O presidente também disse que a febre, que chegou a 38;C, cedeu na madrugada e que está se sentindo "perfeitamente bem" após fazer uso da hidroxicloroquina.

"Estou bem, estou normal. Em comparação a ontem [segunda], estou muito bem. Estou até com vontade de fazer uma caminhada, mas não vou fazê-lo por recomendação médica, mas eu estou muito bem", afirmou.

O presidente comentou que não ficará em repouso, mas ressaltou que deve adaptar a agenda de compromissos oficiais para evitar contato com outras pessoas."Vou seguir o protocolo, como cidadão, despachando por videoconferência e, raramente, recebendo uma ou outra pessoa para assinar algum documento", acrescentou.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação