IGREJA

Cantora que associou gays ao pecado e à Aids deve ser processada

Entidade de defesa dos direitos LGBT anunciou que vai processar a cantora gospel Ana Paula Valadão por homofobia

Correio Braziliense
postado em 12/09/2020 16:02 / atualizado em 12/09/2020 16:08
 (crédito: Instagram/Reprodução)
(crédito: Instagram/Reprodução)

A cantora gospel Ana Paula Valdão deve ser processada pela fala na qual associou a homossexualidade ao pecado e ao surgimento da Aids. A intenção de levar o caso à Justiça é da Aliança Nacional LGBTI+, entidade que atua na promoção dos direitos da comunidade LGBT.

Em um trecho do programa que apresenta na Rede Super, o Diante do trono, Ana Paula afirmou: "Isso (homossexualidade) não é normal. Deus criou o homem e a mulher. E é assim que nós cremos. (...) Tudo que é distorcido traz consequências, naturalmente. Nem é Deus trazendo uma praga ou um juízo não. Taí a Aids pra mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte, contamina as mulheres" (assista abaixo).

Para o advogado e coordenador da Aliança LGBTI+, Marcel Jeronymo, a cantora e pregadora cometeu um crime. "A pastora, ao associar o HIV à comunidade LGBTI, comete o mesmo equívoco daqueles que quiseram ligar a pandemia do coronavírus à China. É crime. Vamos representá-la por LGBTFOBIA, nos termos da decisão do STF”, disse ao site da Carta Capital, referindo-se à decisão do Supremo que equiparou a homofobia ao racismo.

A repercussão do vídeo acontece dois dias depois de outro cantor gospel, André Valadão, causar revolta na comunidade LGBT ao dizer que "igreja não é para gays". O vídeo de Ana Paula também fez com que lideranças LGBT reagissem, pedindo a responsabilização pela declaração.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação