Covid-19

Pazuello sobre a covid: "Não estou completamente recuperado"

Declaração do ministro da Saúde foi dada no evento de lançamento da campanha Novembro Azul, contra o câncer de próstata. É o primeiro evento de que participa depois de ser recuperar de uma infecção provocada pelo novo coronavírus

Maria Eduarda Cardim
postado em 11/11/2020 14:03
"É uma doença complicada", disse Pazuello, em contraste com o que pensa Bolsonaro, que menospreza o impacto do novo coronavírus -

O ministro de Saúde, Eduardo Pazuello, retomou os trabalhos presenciais no comando do Ministério da Saúde, nesta quarta-feira (11/11), após se recuperar de uma infecção causada pelo novo coronavírus. Ao participar do primeiro evento depois de retomar as atividades profissionais, o general disse que ainda não está "completamente recuperado" e ressaltou que a covid-19 é uma doença "complicada".

"Não estou completamente recuperado. É uma doença complicada. É difícil você voltar ao normal, mas a gente já consegue trabalhar um pouquinho. Já é um primeiro dia de atividades no trabalho", afirmou ao participar do lançamento da campanha Novembro Azul – que visa à conscientização dos homens para o câncer de próstata por meio de exames preventivos.

É o primeiro dia de trabalho presencial de Pazuello depois da infecção. Ao testar positivo para o novo coronavírus, em 21 de outubro, ele chegou a ser internado em dois hospitais. Primeiro, numa unidade de saúde particular, em Brasília, para só então ser transferido para o Hospital das Forças Armadas (HFA). O general teve alta do HFA na última semana, em 3 de novembro, quando recebeu diagnóstico negativo para covid-19. 

No evento de lançamento da campanha do Novembro Azul, agradeceu os votos de recuperação que recebeu e também à imprensa pela cobertura durante o período em que esteve distante do ministério.

Pazuello fará a primeira viagem de trabalho, neste pós-retorno, na próxima sexta-feira (13/11), para Ribeirão Preto (SP), junto com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes. Segundo fontes ouvidas pelo Correio, eles visitarão uma fábrica de vacinas. Em ambas as agendas, ainda não há compromissos oficiais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação