Covid-19

Pazuello diz estar "partindo para um contrato" com o Butantan

Até o momento, o Ministério da Saúde assinou somente memorandos de entendimentos para uma possível compra das doses da vacina CoronaVac

Maria Eduarda Cardim
postado em 17/12/2020 15:02 / atualizado em 17/12/2020 15:04
 (crédito: Evaristo Sá/AFP)
(crédito: Evaristo Sá/AFP)

Um dia depois de o Ministério da Saúde incluir oficialmente a vacina CoronaVac na lista de "adesão do Brasil às vacinas", o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, declarou que o cronograma de vacinação é construído em cima das previsões de entregas da CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer. O general indicou nesta quinta-feira (17/12) que a pasta está “partindo para um contrato” com o Instituto Butantan para a compra das doses do imunizante produzido pela entidade, já que até o momento somente memorandos de entendimentos foram assinados.

“Sim, nós temos um memorando de entendimento com o Butantan há mais de dois meses e meio. Não é de agora. Nós temos um segundo memorando de entendimento claro com o Butantan, e estamos partindo para um contrato, sempre ressalvado o registro e a entrega, é claro, mas nós estamos prevendo a distribuição de números efetivos”, afirmou durante uma sessão remota do Senado para debater a vacinação contra a covid-19 no Brasil

Pazuello assinalou que já conta com a entrega de doses da vacina produzida pela empresa chinesa Sinovac e pelo Instituto Butantan em janeiro. “Se nós aprofundarmos esses números, nós estamos falando de 500 mil doses da Pfizer em janeiro, nove milhões de doses do Butantan em janeiro e 15 milhões de doses da AstraZeneca em janeiro”, disse.

Doses garantidas

Mais tarde, em coletiva de imprensa do governo do estado de São Paulo, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, garantiu que, em 15 de janeiro, nove milhões de doses da CoronaVac estarão prontas para uso da população. Em fevereiro, mais 22 milhões de doses devem ficar prontas, e, em 15 de março, outras 15 milhões.

Covas comentou a declaração do ministro e afirmou que entende que Pazuello incorporou as doses da CoronaVac no cronograma do Ministério da Saúde. “Hoje, o ministro anunciou a disponibilização do total de doses de vacinas incluindo as doses do Butantan no escalonamento. Nós apresentamos a entrega de nove milhões em janeiro, 22 milhões em fevereiro e 15 milhões em março. Isso foi apresentado e o ministro incorporou essas doses nos quantitativos que apresentou hoje. Portanto, eu entendo que é um plano já anunciado de incorporação dessas vacinas, e estamos aguardando a formalização da documentação”, avaliou Covas.

Durante a coletiva, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), informou que Pazuello prometeu fazer o encaminhamento do contrato que propõe a aquisição de 45 milhões de doses da vacina CoronaVac, em caráter permanente, até esta sexta-feira (18).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE