FEMINICÍDIO

Ex-marido de juíza morta a facadas deixa delegacia em silêncio

Paulo José Arronenzi não se pronunciou durante audiência de custódia nesta sexta-feira (25/12). Homem é acusado de assassinar ex-mulher a facadas na frente das filhas

Ronayre Nunes
postado em 25/12/2020 20:18
 (crédito: reprodução/Twitter)
(crédito: reprodução/Twitter)

Após a prisão temporária nesta quinta-feira (24/12), Paulo José Arronenzi, 52 anos, acusado de assassinar ex-mulher, a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, a facadas na frente das três filhas, teve a reclusão convertida em preventiva nesta sexta-feira (25/12). Após audiência de custódia, o homem foi transferido para a cadeia pública José Frederico Marques.

Durante a audiência e na saída da delegacia, Arronenzi permaneceu em silêncio. As informações são do portal da emissora Rede TV!.

A decisão pela manutenção da prisão foi da juíza Monique Brandão.

O corpo de Viviane Arronenzi será cremado neste sábado (26/12) em um cemitério na Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Entenda o caso

A juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi foi assassinada a facadas, em frente das três filhas, na tarde desta quinta-feira (24/12), na véspera de Natal. O crime foi no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Viviane era juíza do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ).

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento da ação. As três filhas de Viviane gritam e clamam para que o pai pare de agir, enquanto o homem desfere golpes na mulher caída ao lado de um carro.

Nesta sexta, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, lamentou a morte da juíza.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE