RIO DE JANEIRO

Morre professora atropelada pelo jogador de futebol Marcinho

O marido dela, também professor, já havia falecido logo após o atropelamento, no dia 30

Correio Braziliense
postado em 05/01/2021 22:01 / atualizado em 05/01/2021 22:01
 (crédito: Vitor Silva/Botafogo e Arquivo pessoal)
(crédito: Vitor Silva/Botafogo e Arquivo pessoal)

A professora Maria Cristina José Soares, que foi atropelada com o marido por Marcinho, ex-jogador do Botafogo, morreu na noite desta terça-feira (5/1), após ficar internada por seis dias em um hospital do Rio de Janeiro. O marido dela, o também professor Alexandre Silva Lima, havia morrido logo após ser atingido pelo carro dirigido pelo atleta, no dia 30.

Maria Cristina foi levada ao Hospital Vitória, onde chegou em estado grave. Na unidade de saúde passou por diversas cirurgias e, consciente, soube da morte do marido. Nesta terça-feira, o quadro dela piorou, segundo o hospital, e ela foi intubada, mas não resistiu.

Tanto ela quanto Alexandre eram professores do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca. No dia 30, eles voltavam da praia e atravessavam uma avenida no Recreio dos Bandeirantes, quando foram atingidos pelo carro de Marcinho, um modelo Mini Cooper.

O jogador não prestou socorro às vítimas. Mais tarde, afirmou que dirigia em baixa velocidade, a cerca de 60km/h, e que não parou por medo de ser linchado. Segundo o site G1, porém, testemunhas ouvidas pela polícia disseram que o jogador dirigia em alta velocidade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE