Protesto

Homem é preso suspeito de ter colocado fogo na estátua de Borba Gato

Ação ocorreu em São Paulo durante manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro neste sábado

Thays Martins
postado em 25/07/2021 17:39 / atualizado em 25/07/2021 17:45
 (crédito: Daniel Eduardo/ Twitter/ reprodução )
(crédito: Daniel Eduardo/ Twitter/ reprodução )

Um homem foi preso suspeito de ter ateado fogo, neste sábado (24/7), na estátua em homenagem ao bandeirante Borba Gato, em Santo Amaro, Zona Sul de São Paulo.

O monumento foi incendiado durante uma manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro por um grupo que se identifica como Revolução Periférica.

Segundo a Polícia Civil, o caminhão usado pelo grupo foi localizado na madrugada deste domingo (25/7). O motorista do veículo foi preso.

De acordo com a Defesa Civil de São Paulo, em uma análise preliminar, o fogo não comprometeu a estrutura da estátua.

Durante a manifestação, em São Paulo, foram registrados atos de vandalismo na Avenida Paulista, onde foram quebrados vidros do Banco Itaú e Concessionária Hyundai, segundo informações da Polícia Militar.

O ato gerou grande repercussão nas redes sociais, em que muitos lembraram a fama do bandeirante na promoção da escravidão do Brasil. "Durante alguns anos estudei a vida de Borba Gato devido um romance que escrevi mas está engavetado. Era um homem cruel, estuprador de meninas indígenas e assassino cruel que matava os pais só depois de ter estuprado as filhas. É a estátua desse homem que causou rebuliço?", escreveu Douglas Rodrigues Barros, autor do livro Lugar de negro, lugar de branco?.

O deputado estadual Gil Diniz (sem partido) chamou o grupo de "vândalos" e elogiou a ação da polícia.


 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE